sábado, 31 de março de 2018

Ratatouille | Comidas do Mundo - França

O tempo parece que voa, e estamos já no fim do mês de março. Com ele chega mais uma receita da rubrica "Comidas do Mundo". Sendo o país escolhido a França, existiam infindáveis escolhas, mas não queria fazer nem doces, nem nenhum pratos muito fortes, por isso mesmo a escolha recaiu sobre um clássico e tão tradicional "Ratatouille". 

Ratatouille é um prato rústico, com um sabor aveludado e com uma certa presença, o que pode fazer com que não agrade a todos os paladares, principalmente a quem não gosta de comer legumes. Este prato poderia ser sinónimo de conforto, pois seja como acompanhamento ou prato principal aquece verdadeiramente a alma. A minha maneira favorita de o comer, é ainda quente/morno com pão (para molhar no molho) ou com arroz, o que torna a receita vegetariana. Mas acompanha na perfeição peixe ou carne. Pode também ainda ser servido frio, o que pessoalmente não me agrada.

Teve a sua origem no século XVIII, na região da Provença (antigo condado de Nice), e nada mais é do que um rústico estufado de legumes, ou ragu de legumes. Notam-se, claramente, algumas influências italianas e espanholas. 
Uma curiosidade: abreviando Ratatouille, ficando "Rata", o que na altura seria uma gíria dada à refeição dos militares, composta por batatas, feijão e diversos legumes. 

Este modo como apresento o Ratatouille, é mais próxima do original. No entanto existem outras formas de o apresentar e preparar. Há quem corte em rodelas finas os legumes, e os prepare no forno. Parecida talvez com a receita que vemos no filme da Pixar com o mesmo nome. Deliciosa, mas eu prefiro assim com um ar mais tosco. O vegetais podem também variar, no entanto a base leva sempre beringela e tomate.

França é um país tão rico em tantas coisas, que ficou complicado decidir sobre o que partilhar. No entanto referindo que é o país que está classificado como o maior destino turístico do mundo, poderão compreender a minha dificuldade. Mas o principal foco do meu blog é a culinária, e nisso, este país tem um historial impressionante, tanto que em 2010 a gastronomia francesa foi instituída Património Mundial da Unesco. Sem dúvida uma das culinárias mais tradicionalistas e com uma maior herança cultural. Por isso é da gastronomia que vou falar - não tudo, naturalmente.

São imensos os produtos presentes na França. Destacam-se os vinhos, que podem atingir preços exorbitantes, por exemplo uma única garrafa pode chegar a custar 1,500 euros. E mesmo assim o consumo de copos de vinho por ano pode atingir os mais de 11 biliões, sendo que a tendência é para diminuir este consumo, cada vez mais. Os queijos desempenham também um papel importante no consumo dos franceses, onde as mais de 1,000 variedades de queijos, resultam numa produção que chega a 1 bilião por ano. O escargot (caracóis) é muito consumido em França. São toneladas as que passam pelos pratos dos franceses anualmente. A carne é igualmente parte integrante da sua gastronomia. Sendo mais evidente, o pato, carneiro e boi. Também os produtos vindos do mar são bastante utilizados.

Da pastelaria francesa, haveria imenso a falar, mas apenas dizer que é considerada uma das melhores do mundo. A sua variedade é fascinante em termos de doces, e nada melhor do que a descobrir em qualquer padaria ou confeitaria, numa esquina de uma qualquer cidade do país. Ficamos fascinados a olhar para qualquer montra tal a variedade.

E na realidade, a gastronomia francesa é tão rica que se distingue dependendo da região, tendo a sua própria culinária.

Alguns pratos famosos:

- Escargot (caracóis)
- Foi gras (fígado de pato)
- Coq au vin (galo no vinho)
Soupe à l'oignon (sopa de cebola)
- Ratatouille (estufado de legumes)
- Cassoulet (feijoada)
Bouef bourguignon (carne de boi cozinhada em vinho)
- Confit de canard (pato confitado)
Blanquette de veau (ensopado de vitela)
- Croque madame/Croque monsieur (tosta gratinada com molho béchamel, com ou sem ovo)

Alguns doces famosos: 

- Crème brûlée (semelhante ao leite creme)
- Macaron
- Crêpes
Mille-feuilles (mil-folhas)
- Éclair
- Mousse au chocolat (mousse de chocolate)
- Canelé (bolinho)
- Tart citron (tarte de limão)
- Tart tatin (tarte de maçã)
- Madeleine (madalenas)
- Baba au rhum (bolinho ensopado com rum)


Ah, e o meu filme favorito de animação, é mesmo o Ratatouille. Simplesmente um filme amoroso. Se nunca viram, não podem deixar passar.




Ingredientes

1 beringela média
1 courgette média
1 pimento amarelo
3 tomates chucha (um pouco maduros)
1 cebola
4 dentes de alho
1 molho pequeno de salsa fresca
4 hastes de tomilho fresco
Azeite q.b. 
Sal marinho e pimenta preta q.b. 


Preparação

Comece por partir em cubos pequenos (não demasiado) a beringela, a courgette, o pimento, a cebola e o tomate. Tente cortá-los todos do mesmo tamanho. Lamine os dentes de alho. 
Num tacho largo e de fundo anti-aderente, coloque um pouco de azeite e salteie a beringela e a courgette até ganharem uma cor. Retire com uma espátula e reserve. 
Coloque mais um pouco de azeite se necessário, e salteie uns minutos o pimento (tendo cuidado para não queimar). Retire-o do tacho. 
Coloque mais um pouco de azeite e junte a cebola, o alho e o tomilho (só as folhas). 
Deixe saltear um pouco.
Junte novamente a beringela, courgette e o pimento. Adicione também o tomate. 
Condimente com sal marinho e pimenta preta a gosto.
Mexa cuidadosamente, tape o tacho, coloque no mínimo o lume e deixe cozinhar cerca de 20 minutos, ou até ficarem suculentos. 
Se achar que durante a cozedura o estufado necessita de liquido, coloque um pouco de água. No entanto, como o sal ajuda a libertar a água dos legumes, talvez não seja necessário. 
Quando estiver cozinhado, adicione a salsa fresca picada, e envolva cuidadosamente para não amassar os legumes. 


Bom Apetite! Bon Appétit!


Mamma mia!!!! Não se esqueçam de apanhar o avião juntamente comigo. No próximo mês vamos fazer paragem na bella Italia e trazer uma receita molto buena!


quarta-feira, 28 de março de 2018

Papas de millet com pêra

Adoro começar o dia com algo bem leve, mas que me deixe saciada, pois eu sou muito, muito gulosa. E como comer pão logo de manhã me deixa um pouco acelerada (parece estranho, mas é verdade), as papas passaram a ser uma opção para mim. E confesso, adoro! Não as como por obrigação, mas sim por puro prazer. O millet foi um alimento que entrou recentemente na minha alimentação, e só posso dizer que veio para ficar, e na forma de papas é delicioso. Sacia, sem pesar. Na realidade, embora adore as típicas papas de aveia, as papas de millet deixam-me ainda mais leve, e estão no topo das minhas preferências. 
Gosto de juntar fruta ao fazer as papas, assim evito colocar adoçantes. Para mim o açúcar da fruta é o suficiente. Mas naturalmente, vocês podem adoçar com mel por exemplo. Estas preparei com pêra. Mas com maçã ou banana fica também ótimo.  Espero que gostem, e que se inspirem!  
A preparação está também em vídeo.


Ingredientes (1 pessoa)

60 gramas de millet (demolhado por umas 4 horas)
Água (5 vezes a medida do millet)
1 pêra
1 casca de limão
Canela em pó (a gosto)

Morangos e amêndoas (para o topping das papas)

Preparação

Num tacho pequeno coloque o millet, a água, a casca do limão, canela em pó a gosto e a pêra. 
Leve ao lume e deixe começar a ferver.
Tape o tacho, coloque em lume baixo, e deixe cozinhar uns 20 a 25 minutos. 
Vá mexendo de vez em quando. 
Quando estiverem cozinhadas, retire do lume, e tire a casca do limão. 
Coloque as papas no prato a servir. 
Decore com os morangos e as amêndoas, ou com um topping da sua preferência. 
Sirva ainda morno. 


Bom Apetite!


segunda-feira, 26 de março de 2018

sexta-feira, 23 de março de 2018

Bolo de caneca de chocolate e banana (sem óleo e sem ovo)

Às vezes acontece de nos surgir uma gula repentina, assim aquela necessidade bem forte de comer um doce. Sabem o que é isso? Acredito que sim, porque a mim também acontece, e mais vezes das que gostaria tenho a dizer. Sendo assim, a solução passa mesmo por preparar algo rápido. E as tão famosas receitas "na caneca" são sempre uma escolha fantástica. Mistura-se tudo numa caneca, uns minutos no microondas e já está! 
Esta não é uma receita saudável, porque nem tudo tem de ser. No entanto não leva ovos, nem óleo.
Vou ser sincera, juntei os ingredientes que tinha aqui por casa, e posso dizer que resultou num bolo muito, muito guloso, arrisco-me a dizer o melhor bolo de caneca que alguma vez comi. Com uma textura cremosa, húmido, saboroso, e que se manteve fresco por muitas horas, o que nem sempre acontece com este tipo de bolos preparados no micro-ondas. Por isso tinha mesmo de partilhar com vocês, pois sei que muita gente gosta deste tipo de receitas. É a sobremesa perfeita para um jantar rápido depois de um dia de trabalho daqueles...ou para dividir com aquela pessoa especial!

Podem ver em baixo a receita do bolo em vídeo. 

Ingredientes

1 banana madura amassada
1 colher de (sopa) iogurte grego
2 colheres de (sopa) água
1 colher de (sopa) açúcar amarelo
2 colheres de (sopa) cacau em pó
3 colheres de (sopa) farinha de trigo sem fermento
1 colher de (café) fermento em pó
1 colher de (café) bicarbonato de sódio

Preparação

Numa caneca com capacidade para 400 ml junte a banana, o iogurte, a água, e o açúcar. Misture tudo muito bem com um garfo.
Junte o cacau, e misture até estar tudo muito bem incorporado.
Adicione a farinha, o fermento e o bicarbonato de sódio. Envolva novamente, mas apenas até incorporar. Não mexa demasiado para o bolo não ficar duro.
Leve a caneca ao microondas na potência máxima por 3 minutos.
No entanto, como a potência dos microondas pode variar, ao fim de 2 minutos retire a caneca e verifique se o bolo já está cozido.
Antes de o consumir deixe arrefecer uns minutos. Sirva morno ou frio. 


Nota

1) A banana quanto mais madura estiver, mais doçura vai conferir ao bolo. 
2) Se preferirem um bolo bem doce acrescentem mais uma colher de açúcar amarelo.
3) Para ficar ainda mais guloso sirva com uma bola de gelado, acompanhado com rodelas de
banana e raspas de chocolate, polvilhado com açúcar em pó, ou até mesmo com chocolate derretido. 
4) A potência dos microondas variam, por isso verifique o tempo de cozedura, para o bolo não ficar cozido demais. 


Bom Apetite!


segunda-feira, 19 de março de 2018

sexta-feira, 16 de março de 2018

Como cozinhar millet?

A semana passada falei-vos do millet, e de alguns dos seus benefícios. Hoje trago o modo como o pode preparar. 
Cozinhando desta forma fica excelente como substituto do arroz, ou, para colocar também nas saladas, na realidade para utilizar da maneira que quiser. Eu gosto imenso desta alternativa.
Espero que vos seja útil. A preparação está também em vídeo! :)



Ingredientes

1 tigela de millet
2 tigelas de água (medida do millet)
sal marinho q.b.

Preparação 

Colocamos o millet num tacho e levamos a lume baixo. 
Vá mexendo para o tostar até ganhar um aroma de pipoca, mas tenha cuidado para não deixar queimar (algum millet pode até começar a saltar, precisamente como as pipocas). 
Deite a água no millet. 
Tempere com sal marinho a gosto. 
Deixe ferver bem o millet, tape, baixe o lume, e deixe cozinhar 15 minutos até toda a água ser absorvida. 
Retire do fogão e deixe repousar 10 minutos tapado. 
Passados os 10 minutos, com um garfo solte os grãos do millet, com cuidado, para não amassar. 
Está pronto a servir. 


Bom Apetite!


sexta-feira, 9 de março de 2018

Millet

O millet é uma semente originária da Ásia, e também do continente Africano. 
É um alimento pode-se dizer primitivo, já que é cultivado há mais de 6 mil anos. Para termos uma noção foi até mencionado na Bíblia, pois a sua colheita era muito valiosa. 
Faz parte diária da alimentação e gastronomia de países como China, África, Índia e Egipto. 
O millet serve para preparar inúmeras iguarias, entre as quais pão, como substituto do arroz, sobremesas, papas, cerveja, entre outras utilizações que podem ser dadas a esta semente. 
E se vocês pensam que já viram esta semente, provavelmente já, pois é um dos ingredientes que compõe alguma da comida para pássaros, e até para o gado na forma de farinha. 
Se os bichinhos podem aproveitar os benefícios do millet - também chamado de milhete, milho-miúdo ou painço - nós meros humanos também. 
É uma excelente alternativa aos cereais comuns pois é naturalmente isenta de glúten, logo, apta para intolerantes e doentes celíacos. 


Tem um alto teor nutricional. 

É rico em:
- Fibra
- Ferro
- Fósforo
- Magnésio
- Manganésio
- Vitaminas do complexo B
- Cálcio
- Potásio
- Proteína 

O millet é extremamente suave ao organismo, sendo de fácil digestão, o que ajuda bastante a regular os intestinos. É um alimento alcalino. 
Todos estes nutrientes e benefícios ajudam na manutenção de um corpo saudável. 



sexta-feira, 2 de março de 2018

Panquecas de fruta (sem glúten)

Cada vez mais sou adepta de descobrir novas maneiras de comer doces sem precisar de utilizar o açúcar refinado, e panquecas são tão versáteis que fico sempre encantada com cada combinação possível, e que na realidade resulta em algo efectivamente doce. E o melhor? Sem utilizar ingredientes dispendiosos. Estas panquecas com fruta são um exemplo disso. São doces, saborosas e muito saciantes. É perfeito para dar aos miúdos ai de casa, e até aqueles adultos mais cépticos...não lhes falem o que tem estas panquecas...eles nem vão desconfiar, e ainda vão elogiar. Acreditem. 
Espero que gostem, e que preparem em vossa casa esta receita! Ficam fantásticas!  


Ingredientes (6 panquecas grandes)

1 banana madura
1 maçã
1 limão (raspa)
Canela em pó (a gosto) 
2 ovos
5 colheres (de sopa) de aveia

Azeite q.b. 

Preparação

Corte a banana e a maçã em pedaços.
Junte a aveia, as frutas, a raspa do limão, a canela e os ovos numa tigela.
Triture tudo muito bem até ficar uma mistura homogénea. Pode triturar com a varinha mágica ou no liquidificador.
Deite um pouco de azeite numa frigideira anti-aderente e espalhe bem.
Com a ajuda de uma concha de sopa coloque um pouco da massa na frigideira e deixe cozinhar até a panqueca começar a secar em toda à volta (cuidado com a temperatura do fogão para não as deixar escurecer demasiado).
Vire a panqueca do outro lado com a ajuda de uma espátula, e cuidadosamente. 
Repita o mesmo procedimento com toda a massa.
Sirva com um topping da sua preferência. 

Bom Apetite!