terça-feira, 31 de março de 2015

Fim-de-semana na Quinta da Veiga | parte 2

Parte 1 aqui.



























































A decoração da casa é maravilhosa...um estilo ligeiramente ecléctico pela variedade na decoração, mas maioritariamente Oriental. As salas comuns são uma delícia, e imagino que fantástico  deve ser o convívio numa noite de Verão com o rio Douro como pano de fundo. A casa têm duas salas maiores, e julgo três mais pequenas, uma com mesa de jogos: dominó e cartas.   































Gostei muito da sala de refeições, tudo muito bem apresentado, e a decoração linda. O que comemos fica para a 3ª parte.

Adorei o quarto, quanto não mais não fosse pela vista. Ficamos num com varanda, o que o tornou ainda melhor, já falei vezes sem conta da paisagem eu sei. São espaçosos, limpos, umas poltronas confortáveis, a mobília não é totalmente nova, mas isso para mim é o que lhe dá graça. A televisão também não têm muitos canais, ou quase nenhuns, mas isso torna-se secundário. Também a casa-de-banho, é bonita e limpa. 


Parte 3 (em breve)

segunda-feira, 30 de março de 2015

Fim-de-semana na Quinta da Veiga | parte 1

Este fim-de-semana decidimos ir até ao Alto Douro e passá-lo numa Quinta que achamos muito bonita nas pesquisas pela Internet e por isso mesmo reservamos, mas estando lá, ainda nos encantou mais, fica entre vinhas, oliveiras e árvores de citrinos. Eu sou uma apaixonada pelo Douro, Trás-os-Montes, e esta zona decididamente é a ideal para descansar do stress do dia-a-dia. É uma quinta rodeada pelos vales que são Património Mundial, e que encantam até os mais dos citadinos, e principalmente os apaixonados por vinhos. 



Chegamos à Quinta depois de um caminho sinuoso (mas com uma vista maravilhosa sobre o rio e vales), que não fácil para quem não conhece e pode meter um certo medo, mas devagar e com atenção chega-se lá! Mas em alternativa, têm a uma curta distância um apeadeiro de comboio da CP. Para quem quer passar os dias apenas a relaxar na Quinta acho mesmo ideal deixar o carro em casa, e aproveitar a viagem de comboio que é tão bonita. Caso contrário, e queiram andar à descoberta, têm mesmo de vir de transporte próprio. 


















Fomos recebidos pelo gerente da Casa, um rapaz simpático e prestativo. E também pelos muitos cães, que mal o nosso carro parou deram logo sinal da nossa chegada ao ladrarem sem parar até sairmos de lá de dentro, o que eu acho muito giro, pois já os meus avós que moram não muito longe de lá, têm igualmente (é a única maneira de quando se está isolado ser avisado). Tivemos a conhecer a casa (irei mostrar noutra publicação), e tomamos o Welcome Drink na esplanada. Pormenor curioso, éramos os únicos hóspedes na casa e os primeiros do ano, o que foi agradável, mas que por outro lado seria tão melhor ter pessoas com quem confraternizar. Mas é compreensível, apesar do bom tempo que se fez sentir, não é a época alta.

A primeira coisa que fizemos questão de guardar na memória, e aproveitar no momento foi a vista do quarto, que é inspiradora como podem ver pelas fotografias, uma beleza natural única e que nos faz respirar fundo e pensar que estamos num pequeno paraíso. Acho mesmo o ponto forte. Aliás, não só o nosso quarto, mas todos os quartos possuem vista. 


Podem saber informações da Quinta da Veiga aqui.

Parte 2 (em breve)

sexta-feira, 27 de março de 2015

TAG | Bota cá para fora essa sinceridade

Mais uma Tag, esta é bem engraçada, é uma forma de dar a conhecer a nossa opinião acerca deste mundo dos blogues. Não vão encontrar respostas polémicas, eu sou muito rapariga muito insossa eheh
Ah, e as perguntas onde tem a palavra publicação, tinha a palavra post, mas como não gosto muito de usar, troquei por uma palavra portuguesa. 



Qual o tipo de publicação que mais gostas de ler? 

Tudo que esteja dentro dos meus interesses. Desde uma receita nova e bem feita, com um ingrediente que nunca ouvi falar, passando por viagens, locais a visitar, fotografias e histórias dos mesmos...textos bem escritos mas simples que isto a minha cabeça já não é o que era, e não muito longos, que vejo mal e recuso-me a usar sempre os óculos (mas um dia vai ter de ser), não me ajeito com eles. Um aparte (se me virem na rua; esta moça do lado direito, se eu vos conhecer deste "mundo blogosférico" claro, mas olhar e não vos disser nada, não liguem, provavelmente nem sequer vos vi em condições. Pronto...fica já o aviso feito). 

Comentas todas as publicações que lês?

Às vezes não comento. Aliás, posso ler e gostar muito, mas se calhar passo sem deixar "marca", porque como sigo tantos blogues, vou comentando, e quando dou conta já estou cansada de escrever, e mesmo que apareça algo que até era giro dizer algo, têm de ficar para a próxima. Mas cada vez comento menos, acho que uma coisa certa a fazer é comentar mesmo porque se gosta e com motivo, e não só para "picar o ponto". Vou mesmo tentar fazer isso, o que não quer dizer que não goste dos blogues claro.

O que representa para ti uma publicação com muitos comentários?

No meu caso, ou seja, no meu blogue, quer dizer que a receita é mais do agrado das pessoas, se for um doce, algum prato mais tradicional, ou que seja do gosto geral, isso traz mais comentários, e aí eu faço questão de responder a cada um deles, gosto de retribuir o facto do tempo que perderam a entrar no meu blogue. E pronto, em relação aos outros blogues, é sinal de popularidade/polémica, o que nem sempre é sinal de qualidade, tão simples quanto isso. 

O que te afasta num design de um blog?

Não gosto de ver kg de publicidade mal se abra a página, podíamos ver um cabeçalho, mas não, vemos anúncios. Está bem que queremos ganhar algum, mas gente, disfarcem melhor.
Não que não goste, mas uma pessoa está no trabalho, ou em casa, e têm as colunas ligadas, ou o volume no máximo e nem dá por ela, e abre um blogue e dispara uma música em alto e bom som, é de assustar.
O tipo de letra muito trabalhado, muito pequeno, ou até grande demais, é mesmo péssimo para quem quer ler, dá mesmo vontade de fechar a página. 
E também as fotografias enormes das parcerias de qualquer tipo de blogue, espalhadas por todo o lado, eu não tenho nada a ver com isso, mas estou a ler e a minha visão periférica está lá e bem atenta. Não gosto, muita informação, e desnecessária. 

(mas nem toda a gente têm dinheiro para criar uma boa página, quem as ajude, também há quem não perceba patavina da coisa, e por último gostos são gostos, mas somos livres de ir ao canto superior direito e carregar na cruz)

O que menos gostas na Blogosfera?

Não sei. Acho que é bom não ter muito como responder a esta questão, pois eu estou no meu canto, vou vendo e assimilando algumas atitudes, apenas isso. Mas talvez a constante rivalidade e "picanço" entre as bloggers, estarem sempre com a conversa da frontalidade, é secante. Meninas, isso da total frontalidade é uma treta, pois é um pau de dois bicos. Gostam muito de criticar, mas quando vos calha a vocês aí já não existe tal coisa. Um grande buhhhh para vocês. Frontalidade, não é sinónimo de dizer tudo como os malucos, e nem toda a gente que guarda a opinião para si, mesmo que negativa é sinónimo de se ser sonsa. Às vezes é não querer confusão. Eu posso falar assim, porque nunca ninguém se meteu comigo, nunca tive problemas, mas já vi coisas que não gosto, mas guardo-as para mim, embora às vezes me dê assim um nó na garganta, mas lá me contenho, porque também tenho telhados de vidro e não sou perfeita. 

O que mais gostas na Blogosfera?

Tudo. Mas é mesmo verdade, gosto de como me serve de terapia, as pessoas que já conheci, tão queridas e prestáveis, que já me ajudaram muito sem pedir nada em troca, os elogios que já recebi mesmo não os merecendo (ou acho eu que não), de partilhar o que faço. Numa palavra, acho mesmo que o melhor da blogosfera é a partilha. 

Quais são, para ti, os melhores momentos de uma blogger?
O reconhecimento por parte dos seguidores, um comentário mais sentido e que seja honesto. 

Blog favorito?

É difícil escolher entre tantos de tão bons que são. Mas atentem, o meu blogue favorito é o Da Panela para o Coração. Já ouviram falar? É giro giro :D 

O que representam para ti os haters?

Acho que quando os blogues se tornam conhecidos têm mais comentários negativos. Não acho que seja pela pessoa em questão, mas como têm sucesso a outra pessoa não gosta e critica basicamente tudo, pois algumas não lidam bem com o sucesso alheio, é humano, podemos ou não mostrar tanto. Mas pior que uma pessoa que descarrega as suas frustrações num comentário menos bom, é um/a blogger que incentiva ao responder de forma arrogante e permitir que esses comentários fiquem exibidos, é só uma maneira de chamar mais gente, e isso é parvo. Existe a opção de apagar comentários, mas não, preferem deixá-los lá, é uma escolha. Basicamente os haters têm importância que os bloggers lhes dão, ou lhes querem dar. Simples.   

Que achas-te desta TAG?

Achei bem interessante até, pois é sempre bom saber a opinião dos outros sobre a blogosfera. 


Não vou nomear ninguém, não gosto de chatear as pessoas que estão sossegaditas, se quiserem respondam também! :) 

quinta-feira, 26 de março de 2015

Crepes de chocolate

Já tenho uma receita de crepes, que são uma receita base, quer para doces ou salgados, e curiosamente é a receita no blogue com mais visualizações. Como me apeteceu uma sobremesa rápida, desta vez quis fazer uns de chocolate, são muito bons! Eu gosto de acompanhar com compota de frutos vermelhos e polvilhado com açúcar em pó, mas vocês podem usar as combinações que mais gostarem. Crepes são sinónimo de versatilidade. É tão simples de fazer...



INGREDIENTES (cerca de 8 crepes)

2 ovos
2 dl de leite
5 colheres (sopa) de farinha sem fermento (peneirada)
2 colher (sopa) de cacau em pó ou chocolate em pó (peneirado)
1 colher (sobremesa) de açúcar amarelo
1 colher (sobremesa) de manteiga (amolecida, quase derretida)
1 pitada de sal
Óleo vegetal q.b.

MODO DE PREPARAÇÃO

Num recipiente coloque a farinha, o cacau em pó e o sal, misture.
Noutro bata os ovos, o açúcar e a manteiga, adicione o leite e misture bem.
Faça um ligeiro buraco a meio na farinha, e deite o preparado do leite com os ovos (serve para melhor misturar o preparado), e misture com umas varas, sem mexer demasiado.
Deixe repousar 30 minutos
Passe por um coador a massa dos crepes, para obter uma massa homogénea e sem "grumos" que eventualmente possa ter.
Unte uma frigideira anti-aderente (têm 18 cm de diâmetro cada crepe) com óleo, usando um pincel de silicone, um óleo em spray ou mesmo com papel absorvente de cozinha.
Deixe aquecer a frigideira bem.
Coloque na frigideira uma concha de sopa, não muito cheia de massa, e com a pega da frigideira faça movimentos circulares até a massa estar totalmente espalhada.
Deixe cozinhar até que o rebordo do crepe comesse a ganhar uma cor dourada, mas tenha atenção ao lume do fogão para não deixar queimar.
Vire do outro lado com a ajuda de uma espátula, ou mais fácil ainda, usando as mãos.
Do outro lado basta apenas 1 minuto.
Repita este procedimento para toda a massa.


Bom Apetite!



terça-feira, 24 de março de 2015

Éclairs de chocolate com creme de pasteleiro

Tenho uma lista enorme de bolos de pastelaria que gostava de fazer. Éclairs curiosamente nunca estiveram nessa lista, mas foram os primeiros a ser feitos, e não me arrependi. Deram trabalho, mas ficaram tãoooooo bons! É relativamente simples, apenas trabalhoso. Espero que gostem da receita e façam também. Já imaginaram o sucesso que iriam fazer numa festa de aniversário, ou num jantar de amigos? 



























INGREDIENTES (cerca de 10 éclairs de 9 cm)

Para a massa choux

70 gramas de farinha de trigo sem fermento
1 colher (chá) cheia de açúcar
1 colher (café) de raspa de limão
60 gramas de manteiga com sal
130 ml de água
2 ovos tamanho L
1 gema + 1 colher (sopa) de água

Para o creme de pasteleiro 

3 gemas (de ovos tamanho L)
2 colheres (sopa) cheias de açúcar
1 colher (sopa) de farinha de trigo sem fermento
2 colheres (sopa) de amido de milho
1 colher (chá) de extracto de baunilha
1 pitada de sal fino
300 ml de leite gordo

Para a cobertura de chocolate

100 gramas de chocolate para culinária
50 ml de leite gordo
1 colher (sobremesa) de mel

MODO DE PREPARAÇÃO 

Para preparar o creme pasteleiro

Num recipiente coloque as gemas junto com o açúcar e misture bem.
Adicione a farinha e o amido de milho peneirados, misture muito bem com umas varas.
Junte o extracto de baunilha e uma pitada de sal fino, misture.
Adicione um pouco de leite e mexa bem.
Junte o restante e misture bem até ficar bem dissolvido.
Leve ao lume médio, e mexa sempre muito bem até engrossar, e para que perca o sabor de farinha.
Retire do lume, mexa e verta numa tigela. Reserve.
(Ao arrefecer vai ganhar ainda mais consistência, antes de espalhar nos éclairs, mexa de novo.)  

Para preparar a massa choux

Pré-aquecer o forno a 190ºC.
Num recipiente coloque a farinha, o açúcar e a raspa do limão, misture com umas varas.
Coloque num tacho a água e a manteiga partida em pedaços.
Leve a derreter a manteiga mexendo, e deixe a água quase levantar fervura.
Retire do lume e adicione a farinha, mexendo imediatamente com uma colher de pau ou espátula.
Leve de novo a lume médio baixo, e mexa constantemente para que a massa se descole do fundo do tacho e deixe de ter gosto a farinha. Mexa uns minutos sempre.
Verta o preparado para um recipiente e com umas varas, ou colher de pau, mexa bem para que possa arrefecer quase totalmente.
Entretanto bata ligeiramente os ovos numa tigela, e adicione à massa.
Misture muito bem, até ficar com uma pasta consistente e homogénea.
(Não se assuste se a massa ficar tipo deslaçada ao início, é mesmo assim, têm mesmo de misturar muito bem, vai obter o resultado pretendido).
Encha um saco pasteleiro com a massa, ou mesmo um saco forte e corte com uma tesoura um canto.
Num tabuleiro com papel vegetal, ou tapete de silicone próprio, vá deitando a massa com o saco quase deitado de forma a ficar com um comprimento de cerca de 9cm.
Bata a gema com a água, e pincele por todos os éclairs.
Leve ao forno cerca de 40 minutos, vá verificando, até ficarem bem dourados.
Retire do forno e deixe arrefecer.

Para preparar a cobertura de chocolate

Leve a derreter em banho-maria o chocolate partido com o leite.
Vá mexendo, e quando estiver derretido retire do lume.
Junte o mel, e mexa bem.

Para preparar os éclairs

Corte a meio com uma faca de pão cada éclair cuidadosamente.
Recheie com a ajuda de uma faca a parte de baixo do éclair colocando creme de pasteleiro a gosto.
A parte de cima do éclair mergulhe no chocolate, deixe escorrer o excesso e cubra a outra parte.
Repita a mesma operação por todos.
Deixe solidificar o chocolate, ou sirva de imediato.


Bom Apetite!

sábado, 21 de março de 2015

O Véu Pintado (The Painted Veil)



Já vi muitos filmes dos mais variados géneros, ultimamente não tenho visto muitos, mas antes era uma romântica que gostava daqueles bem lamechas e irreais. No entanto, o tempo passou, e apesar de gostar de romance, gosto do real, do verdadeiro. Este filme está no meu top 3, e não me lembro de um que tivesse gostado tanto (que me lembre claro). 
Vou confessar, vi uma vez, e a meio do filme fiquei aborrecida, mas lá o terminei e gostei. Vi duas, três, quatro, não sei quantas vezes mais...e entendi, chorei...emocionei-me e sonhei.  
É um filme brutal, com paisagens de cortar a respiração, a banda sonora arrebatadora, e fala de amor. O amor real, a traição, a aceitação, o perdão, a dor, a distância mesmo quando se está perto, um véu entre pessoas; onde não devemos ver as coisas como queremos, mas sim como elas são. Para mim é maravilhoso. 
A maior parte das cenas são na China, e a música em sintonia com a paisagem, dá um dramático ao filme que o torna mesmo bom. É uma história de amor passada nos anos 20, e tem como protagonistas o meu actor favorito, Edward Norton, e uma actriz que gosto bastante, Naomi Watts. 


Trailer do filme

Banda sonora

E vocês, já o viram? Gostaram tanto quanto eu? Ou nem por isso? :) 
Se acham que faz o vosso género de filme e nunca o viram, podem ver aqui, mas não leiam os comentários para não estragar o fim :P 

sexta-feira, 20 de março de 2015

Comprei e gostei #1

Vi em promoção num Supermercado umas bolachas da Proalimentar e resolvi trazer para casa para experimentar. Eu adoro todo o tipo de snacks e bolachinhas, e quando vi a metade do preço (0,99) estas, Nutrifibra Go nem hesitei. São com sementes de sésamo (muitas mesmo), que eu aprecio bastante. Bem, adorei as bolachas! São crocantes, nada doces, mas não salgadas em demasia, e como vem em saquetas individuais perfeitas para o lanche numa saída ou trabalho. A tabela informativa nutricional bastante equilibrada tendo em conta os meus conhecimentos claro. Um snack perfeito para mim, e mesmo quando me sentir mais gulosa um pouco de doce de fruta não vai fazer mal! :D 
O único ponto negativo é o preço. O preço normal é de 1,99 para mim é um pouco caro para tão poucas bolachas, mas é compreensível. Resta-me esperar as próximas promoções e abastecer! :D



Nota: Esta publicação não é patrocinada pela marca.  

sexta-feira, 13 de março de 2015

TAG | Culinária

Eu acho mesmo piada a esta coisa das TAG'S, e por isso aqui fica mais uma. Esta combina bem com o blogue. Espero que gostem de conhecer mais um pouco dos meus gostos.



1 - Em qual refeição costumas comer mais? Pequeno-almoço, almoço ou jantar?

Ao pequeno-almoço geralmente como menos, mas ultimamente tenho comido ovos, fruta, pães...acho que como muito em todas as refeições, de todas talvez menos ao almoço, embora ao jantar devesse comer pouco, mas como cá em casa toda a gente chega do trabalho é natural que queiram uma refeição mais composta, e eu vejo a comida e não resisto. :)  

2 - Tens algum alimento que não comes por nada?

Tenho alguns...todas as miudezas do porco, vaca e afins, tirando o fígado...não obrigada. Até custou a escrever! :P Também não gosto nada de pato, não como morcela (um enchido), mas há ingredientes mais leves que não como, mas que não custava tanto, como toranja ( a sério, quem consegue comer aquilo tão azedo), e abóbora gila. Há mais alguns mas de momento não me lembro. 

3 - Fazes alguma mistura estranha?

Não. Não sou de inventar, gosto das coisas simples e dos sabores que sejam bem leves, pelo menos que não sejam "estranhos", a mim claro. Mas posso contar um hábito nada bonito que fazia quando era mais miúda. :D Quando chegava à hora do lanche, pegava no iogurte, e como sabem a maior parte deles liberta uma espécie de água, eu pegava em colheres de açúcar deitava dentro até ficar amolecido, e comia a camada de açúcar, tornava a colocar mais açúcar até humedecer novamente, e era assim...como se o iogurte não fosse doce o suficiente, eu ainda lhe dava mais um "quê" :P 

4 - Estás ou já fizeste alguma dieta?

Não, nunca fiz nenhuma dieta. Embora tenha ido uma vez a uma endócrinologista para me aconselhar como poderia engordar e não emagrecer. Bem tento engordar, mas nada. Dietas não faço. 

5 - Qual o teu fast-food preferido?

Esta é difícil, eu que gosto tanto de "porcarias", apesar de já não comer assim tanto, acho que vou dizer Pizza, gosto mesmo muito.  

6 - Tens vontade de experimentar a culinária de algum país? 

Claro que sim, acho que isso é algo intrínseco em toda a gente, a curiosidade por tudo, e a alimentação não é excepção. Gostava mesmo muito de experimentar a comida Japonesa (sem ser o sushi), os pratos tradicionais dão água na boca, devem ser deliciosos. Mas também a comida Indiana, para mim que nunca comi, e como muitos dos pratos são bem picantes, seria interessante ver a minha reacção, já que sou muito sensível a sabores fortes. 

7 - Preferes refrigerante, água ou sumo? 

Sem dúvida água, mas gosto muito de fazer sumos naturais. Deixo-vos o link para as minhas bebidas aqui no blogue, têm alguns sumos bem saudáveis e deliciosos: Bebidas

8 - Preferes doces ou salgados?

Acho que não saberia viver sem um dos dois, mas a escolher, fico-me pelos salgados. 

9 - Tens alguma comida que falas que não gostas, mas porém nunca experimentaste?

Sim, e nem faço intenção de provar, que é arroz de cabidela por exemplo. 

10 - Tens costume de assaltar o frigorífico de madrugada?

Esta têm uma certa piada, pois a minha cozinha não fica dentro das divisões dos quartos, sala, casa-de-banho. Tinha de abrir a porta para a rua, o que para muita gente poderia ser uma boa coisa! :D No entanto, tenho por vezes umas bolachas, chá e água sempre no quarto claro...

11 - Sabes cozinhar? Se sim, o que fazes melhor?

Pronto, eu quero crer que sei minimamente, senão não fazia sentido ter um blogue onde partilho receitas certo? :P Mas não cozinho tão bem como gostaria, mas a experiência adquire-se. Acho que faço uns bolos jeitosos, também gostam muito da versão caseira das Fatias de Resende que faço por vezes para vender, umas batatas assadas boas, também já me disseram que as minhas omeletes são das melhores que tinham comido até à data, tendo em conta tudo isto, podia ser pior. :D

12 - Acompanhas algum site, programa ou canal culinário?

Ui, se fosse a escrever todos não saia daqui tão cedo. Gosto de muitos, sites não vou mencionar para não correr o risco de me esquecer de algum importante. Vejo canais na Food Network, 24 Kitchen, não sou esquisita, vejo quase tudo. Canal culinário tenho duas youtubers que sou mesmo fã e gosto mesmo delas, uma sigo desde o começo do meu blogue, é a Laura Vitale que é tão querida e simples. O outro canal é o Entertaining With Beth que explica tão bem as receitas que dá gosto de assistir, e é também uma simpatia. 


A 13ª pergunta era para nomear duas pessoas para responderem a esta TAG, mas não o vou fazer, que sou uma rapariga que não gosta de incomodar. Portanto, se acharam giras as perguntas e gostavam de responder...fiquem à vontade! :D 

quinta-feira, 12 de março de 2015

Arroz amarelo com pimento vermelho e coentros

Gosto muito de cúrcuma e de açafrão, mas este último é muito caro, e embora prefira pelo sabor tão bom é raríssimo usar, logo a cúrcuma é a minha escolha para vários pratos. Adoro arroz amarelo, o sabor e a cor que dá. Esta receita faço muitas vezes variando os vegetais e as ervas aromáticas. É um acompanhamento delicioso. E fica lindo à vista, e os olhos também comem não é verdade? Experimentem em vossa casa a acompanhar um estufado de frango, de legumes (para vegetarianos) ou mesmo uns camarões salteados. Mil e uma opções...



























INGREDIENTES (para 4 pessoas)

1 tigela de arroz Basmati (300 gramas)
1/2 pimento vermelho picado
1 cebola pequena picada
1 colher (de sopa) de polpa de tomate
1 colher (de sobremesa) de cúrcuma
1 colher (de sobremesa) de alho em pó
1 colher (de café) de pimenta branca
1 molho pequeno de coentros frescos picados
6 colheres (de sopa) de azeite
Sal q.b.

MODO DE PREPARAÇÃO

Num tacho refogue ligeiramente a cebola e o pimento no azeite.
Juntar o arroz e deixar fritar um pouco, mexendo para não queimar.
Condimentar com a cúrcuma, o alho, a pimenta e o sal a gosto, mexer.
Adicionar os coentros e a polpa de tomate, misturar.
Junte duas tigelas de água (a medida do arroz).
Mexa e deixe ferver.
Coloque a tampa no tacho, o lume na temperatura mínima e deixe cozer cerca de 10 minutos.
Mexa com um garfo quando estiver quase cozido para soltar o arroz.


Bom Apetite!

quarta-feira, 11 de março de 2015

Grelos (de couve) salteados

Os grelos (também conhecidos por espigos) podem ser de couve, nabo ou nabiça, e têm um sabor forte e característico que nem toda a gente gosta, mas eu sou fã, principalmente em arrozes mais caldosos. Mas esta sugestão que vos trago é também uma delícia, e muito comum como acompanhamento dos mais variados pratos, quer de peixe, carne, alheira, bacalhau...uma infinidade de opções. Aqui fica um modo bem simples de os preparar, espero que gostem. 


INGREDIENTES (para 4 pessoas)

1 molho grande de grelos (de couve ou nabo)
4 dentes de alho
5 colheres (de sopa) de azeite
Sal fino e pimenta branca q.b.
Sumo de limão q.b. (espremido na hora)

MODO DE PREPARAÇÃO

Lave e arranje os grelos (usei de couve) cortando os talos mais rijos.
Leve a cozer 2 minutos em água a ferver.
Retire com uma escumadeira e escorra bem a água.
Numa frigideira coloque o azeite e os alhos laminados.
Deixe começar a alourar o alho e junte os grelos.
Vá mexendo de vez em quando para saltear de forma uniforme.
Deixe mais, ou menos tempo na frigideira, de acordo o seu gosto.
Condimente com um pouco de sal e pimenta, misture bem.
Sirva numa travessa com uns salpicos de sumo de limão.


Bom Apetite!

sexta-feira, 6 de março de 2015

Salada de lentilhas

Uma salada a chamar a Primavera. Têm estado uns dias tão bonitos que a alimentação merece ser a condizer. Leve e muito saudável. As lentilhas são uma fonte incrível de proteína vegetal, ricas em ferro e potássio, entre outras propriedades bem amigas do nosso organismo. Eu adoro esta salada, de sabores tão simples. Podem servir assim mesmo, ou juntar queijo de cabra, queijo feta, queijo fresco, etc. Para quem nunca comeu lentilhas, ou nunca utilizou em saladas, façam esta receita se gostarem dos ingredientes, garanto que é muito boa. 


















INGREDIENTES

200 gramas de lentilhas verdes
1/2 pimento vermelho (picado)
1 chalota pequena (picada)
12 azeitonas pretas (picadas)
1 ramo de salsa fresca (picada)
Sal fino e pimenta preta q.b.
Azeite extra virgem (de boa qualidade)
Sumo de limão q.b (espremido na hora)

MODO DE PREPARAÇÃO

Demolhar as lentilhas em água cerca de 2 horas e 30 minutos.
Cozer em água a ferver por 10 a 15 minutos.
Escorrer bem e deixar arrefecer totalmente.
Colocar numa saladeira, e juntar a chalota, o pimento, as azeitonas e a salsa, misturar bem com dois garfos cuidadosamente.
Condimentar com sal e pimenta a gosto.
Verter fio de azeite e sumo de limão a gosto, tornar a misturar.
Levar a salada ao frio cerca de 30 minutos, para os sabores "casarem".
Sirva como acompanhamento, ou como refeição principal com um queijo à escolha.


Bom Apetite!





segunda-feira, 2 de março de 2015

Pelos Jardins do Palácio de Cristal...

Dos meus locais de eleição no Porto para passear seja acompanhada ou sozinha. Muitos dias de Verão passei deitada a ouvir o som da Natureza pura, ou a contemplar a beleza da minha cidade do coração. É um local de passagem obrigatória para quem quer fugir do ruído da cidade e do seu movimento constante. Este video não mostra todos os jardins, pois foi filmado num dia de Inverno (mas de sol), mas já dá para terem uma ideia. Eu por muitas vezes que lá vá, saio sempre de alma cheia! E não sejam muito críticos em relação ao vídeo, eu sou ainda uma amadora nesta "coisa" da edição, não é uma obra de arte :) 






domingo, 1 de março de 2015

Torta com recheio de morango e cobertura de dois chocolates

O desafio deste mês do grupo Dia Um...Na Cozinha ! é mesmo um grande desafio, é que enrolar tortas não é fácil, pode mesmo dar para o torto! :D 
Estou muito curiosa para ver as sugestões de todos os membros deste grupo, que se avizinham deliciosas de certeza! Espero que gostem da minha...




















INGREDIENTES

Bolo

7 ovos
150 gramas de açúcar 
170 farinha para bolos sem fermento (peneirada)
1 colher (de chá) de extracto de baunilha 
Manteiga q.b. (para untar a forma)
Açúcar em pó q.b. (para polvilhar o bolo)

Recheio 

250 gramas de doce de morango (à temperatura ambiente)

Cobertura 

200 gramas de chocolate negro (de boa qualidade) 
100 ml de natas 
1 colher (de sobremesa) de manteiga 
1 colher (de café) de extracto de baunilha 
50 gramas de chocolate branco para culinária (de boa qualidade) 

MODO DE PREPARAÇÃO 

Bolo

Pré-aquecer o forno a 180ºC.
Untar um tabuleiro (cerca 35-35cm, ou outro) com manteiga e forrar com papel vegetal o fundo. Reservar.
Separar as gemas das claras.
Quebrar as gemas com um garfo e colocar numa tigela. Reservar.
Bater as claras em castelo, e quando começarem a ficar fofas ir adicionando o açúcar aos poucos.
Quando estiver uma espécie de merengue, adicionar o extracto de baunilha, misturar mais um pouco. 
Juntar as gemas, e bater até ficar um creme fofo homogéneo. 
Adicionar a farinha peneirada aos poucos e envolver cuidadosamente até estar tudo incorporado.
Verter a massa no tabuleiro e espalhar bem.
Bater com o tabuleiro na superfície para a massa ficar bem distribuída. 
Levar ao forno cerca de 18 minutos (depende do forno, vá verificando, não deixe cozer demasiado). 
Retire do forno, e polvilhe com açúcar em pó toda a superfície. 
Vire o bolo (a parte polvilhada com o açúcar em pó) em cima de uma toalha limpa. 
Retire a folha de papel vegetal com cuidado, polvilhe novamente com açúcar em pó por todo. 
Vá enrolando bem o bolo ainda quente (do lado mais curto, para enrolar mais vezes) junto com a toalha com cuidado. 
Deixe arrefecer totalmente a torta na toalha.  

Para rechear

Desenrole com cuidado o bolo numa superfície limpa.
Espalhe o doce de morango generosamente por todo o bolo.
Torne a enrolar pelo mesmo lado. 
Corte os cantos da torta (opcional) com uma faca, para ficarem direitos. 
Reserve. 

Cobertura

Partir o chocolate em pedaços, e levar a banho-maria juntamente com as natas, a manteiga e o extracto de baunilha, até derreter.
Vá mexendo com uma espátula, para ficar um creme bem homogéneo e fácil de espalhar. 
Retire do banho-maria, e deixe arrefecer um pouco. 
Coloque a torta numa superfície com folha de papel de alumínio ou papel vegetal.
Verta com cuidado a espécie de ganache e cubra toda a torta com a ajuda de uma espátula. 
Deixe solidificar totalmente.   
Derreta o chocolate branco em banho-maria, ou no microondas como preferir.
Com um saco de pasteleiro faça riscos dispersos por cima da torta e espalhe com um garfo dando a forma que desejar. 
Deixe solidificar. 
Coloque no prato de servir.


Bom Apetite!