sábado, 16 de abril de 2016

Fomos parar a Areja...

Não é pouco comum eu e o meu namorado andarmos de carro e nos perdermos. Aliás, ele é um pouco...vá, como hei-de dizer isto...distraído no que diz respeito a seguir os caminhos certos. Mas depois a coisa pode correr bem, e encontramos aldeias que nunca tínhamos visitado antes. Eu confesso, sou uma apaixonada por Portugal e fascinada pela história e as "estórias" deste cantinho no Mundo. E são muitas as vezes que me emociono só porque sim. Ficamos encantados com esta local tão simples e bonito. Estávamos à procura das Minas do Pejão, e acabamos por descobrir também a aldeia de Areja. Estava um dia de chuva, mas ficou a promessa de fazer uma visita no Verão. Escusado será dizer que tratei logo de saber mais sobre ela, e encontrei aqui uma descrição fantástica. 

















sexta-feira, 15 de abril de 2016

Sopa de batata doce

Já estamos na Primavera, mas ela está muito envergonhada, e o frio e chuva ainda não se foram embora. Não me preocupa o estado do tempo só porque sim, nem sou das pessoas que passa a vida a falar disso e a reclamar. Acho, que nós em Portugal somos bem abençoados em comparação com outros países, e isso devia bastar. Claro, o sol faz falta, e ajuda muito no nosso humor, mas para combater essa falta, fazemos receitas como esta que vos sugiro hoje. Uma sopa bem aconchegante e saborosa, que faz esquecer a falta de uns raios de sol. Porque já viram a cor desta menina sopa? :)

batata doce

batata doce

batata doce






















A batata doce é um alimento rico e saudável para a saúde. Para saberem mais sobre os benefícios, dicas e algumas sugestões cliquem na imagem abaixo.
Ingredientes

1 batata doce grande
1 cenoura
1 cebola
1 colher (café) de gengibre fresco ralado 
1 raminho de salsa fresca 
1/2 colher (café) cúrcuma 
1 colher (sopa) de azeite
q.b. flor de sal e pimenta preta 
q.b. nozes 

Preparação 

Descasque a cenoura, a batata doce e a cebola.
Corte em cubos pequenos. 
Num tacho coloque o azeite, e refogue a cebola com o gengibre, apenas uns segundos.
Coloque a batata doce, a cenoura e a salsa.
Salteie uns minutos para ganhar uma cor, mas sem deixar queimar.
Condimente com a cúrcuma, flor de sal e pimenta preta. 
Misture.
Deite água até cobrir bem os ingredientes.
Coza cerca de 15 minutos.
Triture com uma varinha mágica. 
Verifique os temperos.
Sirva com umas nozes partidas ligeiramente torradas. 


Bom Apetite!


quarta-feira, 6 de abril de 2016

Bolo de maçã e limão

Adoro bolos de fruta, e maçã está no topo das preferência, e por isso mesmo fica aqui mais uma sugestão a juntar a estas:


Bolo de maçã e limão

Bolo de maçã e limão

Ingredientes

2 maçãs (usei Granny Smith
4 ovos L
280 gramas de farinha para bolos c/fermento 
125 gramas de iogurte natural s/açúcar
155 gramas de manteiga
280 gramas de açúcar amarelo
1 limão grande (raspa) 

Preparação 

Unte uma forma de chaminé com manteiga e polvilhe com farinha. Reserve. 
Pré-aqueça o forno a 180ºC.
Bata os ovos com o açúcar e a manteiga até obter um creme esbranquiçado e cremoso.
Junte o iogurte e a raspa do limão. Bata mais um pouco. 
Adicione a farinha aos poucos e envolva na massa com uma espátula até estar incorporada. Não mexa demasiado.
Descasque as maçãs e corte-as em cubos. Junte à massa.
Verta o preparado na forma e leve ao forno por 45 minutos, ou até, quando espetar um palito no bolo, este sair limpo.
Deixe arrefecer um pouco e desenforme. 


Bom Apetite!


Arroz Basmati

É dos meus arrozes favoritos, e curiosamente é um arroz com um baixo índice glicémico comparando com outros, como o arroz carolino por exemplo, por isso mesmo torna-se uma boa alternativa a quem tem uma dieta especifica e mais cuidada, ou pratica exercício físico e tem o arroz como parte das refeições. Além de ter mais benefícios, é um arroz muito aromático e o grãos longos dão um excelente acompanhamento a muitos pratos. É originário da Índia, e é comum vê-lo em muitas receitas tradicionais.



Como cozer o arroz: 

- Em primeiro lugar, para nos livrarmos de alguma impureza e limpar bem o arroz, devemos passar num coador o arroz duas vezes por água fria. Escorrer bem.
- De seguida medimos a quantidade exacta do arroz e colocamos 2x a mesma medida de água . 
- Colocamos numa panela grande o suficiente para que o arroz coza sem estar muito junto.
- Deixamos ferver e mexemos. Tapamos o tacho, e coloca-se a cozinhar num fogo muito baixo, para cozer com o vapor e não deixar que a água ferva. Não se deve levantar o testo enquanto cozinha para não evaporar a água necessária à cozedura. 
- Passados 10 a 12 minutos, desligamos, e retiramos do fogão. Deixa-se descansar uns 5 minutos.
- Retiramos o testo e com um garfo abrimos o arroz para o soltar. Mas este procedimentos tem de ser feito com cuidado, para não quebrar os grãos. 


E está pronto um arroz perfeitamente cozinhado. Podem acrescentar qualquer tipo de especiarias, temperos, sal, vegetais, que o procedimento é o mesmo. É apenas a explicação de como ficar solto e não pegajoso. Parecem muitos passos, mas na prática é bem mais fácil.

Receitas aqui no blogue com arroz Basmati:

Arroz amarelo com pimento vermelho e coentros
Arroz basmati com camarão e ovo


segunda-feira, 4 de abril de 2016

Francesinha




Ingredientes (serve 4 pessoas)

molho 
1 cebola média
2 dentes de alho grandes
1 folha de louro 
2 colheres (sopa) de azeite 
1 fatia grossa de salpicão ou presunto 
250 gramas de polpa de tomate 
1 colher (café) de açúcar 
200 ml de água 
600 ml de cerveja 
1 cálice de vinho do Porto
1 colher (sopa) cheia de amido de milho + 150 ml de água 
q.b. sal e pimenta preta
q.b. piripiri 

restantes ingredientes 
8 fatias de pão de forma
4 bifes do vazio ou de vitela
4 linguiças 
8 fatias de fiambre
24 fatias de queijo flamengo

Preparação 

Num tacho coloque o azeite, o salpicão e o louro. 
Pique a cebola e os alhos, refogue até ganhar uma cor translúcida.
Junte a polpa de tomate e o açúcar. Mexa, e adicione a água. 
Condimente com sal e pimenta a gosto. 
Deixe ferver uns segundos, diminua o lume e deixe cozinhar tapado cerca de 25 minutos (adicione apenas se necessário um pouco mais de água).
Retire a folha de louro e o salpicão.
Desfie o salpicão, e junte de novo ao tacho. 
Triture muito bem com uma varinha mágica.
Junte a cerveja e o vinho do Porto. Mexa e deixe ferver. 
Rectifique de sal e pimenta preta. 
Desfaça o amido de milho na água e junte ao molho. 
Mexa até começar a engrossar,com o lume baixo. 
Adicione o piripiri a gosto, mexa e mantenha quente até servir. 

Aqueça uma frigideira com um fio de azeite, e grelhe os bifes de ambos os lados apenas uns minutos. 
Abra cada linguiça a meio, e corte de novo a meio. Grelhe na mesma frigideira dos bifes. 

Num tabuleiro disponha 4 fatias de pão de forma. 
Cubra cada uma com 1 fatia de queijo, fiambre, o bife, a linguiça. fiambre, queijo e termine com a fatia de pão. 
Leve ao forno previamente aquecido até o queijo derreter.
Com uma espátula coloque as sandes nos pratos e cubra com molho. 
Sirva quente. 

Sirva simples, ou acompanhe com batatas fritas caseiras.  

Nota: Utilizem enchidos de qualidade, dará melhor sabor. Usem cerveja e vinho do Porto que gostem de beber por si só, pois o molho terá esse sabor. 


Bom Apetite!


sábado, 2 de abril de 2016

Viver depois de ti (me before you)

E quando vemos (500 vezes) o trailer de um filme que nos faz ir correr ler o livro, consequentemente nos faz perder a vontade de ver o filme? Pois foi exactamente o que me aconteceu. 



Me Before You, é o titulo de um livro da Jojo Moyes, um romance com um tema fracturante da sociedade, e bastante actual, a eutanásia.  É uma história de amor (e não só) que nasce de uma inexperiente, mas cativante cuidadora e de um  jovem paraplégico que o seu desejo a curto prazo é morrer. 

Não vou escrever mais do que devo, até porque havia muito mais a dizer, mas é um livro de fácil leitura, um género de história tipo Nicholas Sparks, mas melhorado. O que é bom. É um cliché, mas acho que nunca nenhum livro me fez chorar assim. O final do livro em termos de escrita não é fenomenal, mas é o bastante para se gostar e fazer chorar até as pedras da calçada. 



Eu digo que não vou ver o filme, mas caramba...vai ser difícil...é que ler um livro em tão pouco tempo como li este, é coisa que não me acontecia há anos. O que eu posso dizer? Sou uma romântica. E ler desperta em nós sensações especiais, como se fossemos escritores de um best-seller. Tenho de começar a apontar todos os meus pensamentos...um dia ainda escrevo um livro.

Pessoas lamechas, este é um livro que aconselho mesmo, e em Junho vamos lá chorar todas para o cinema! Boa? :)