sexta-feira, 17 de dezembro de 2021

Bolo de abóbora e noz pecan

Estou tão viciada neste bolo...

Já há algum tempo que tento não fazer doces com ingredientes vazios de nutrientes, e por isso vou experimentando combinações, fazendo alterações e a verdade é que estas versões ficam a maioria das vezes mais saborosas do que as que fazia anteriormente.

Este bolo é denso e intenso com um sabor rico da noz pecan, abóbora e o leve aroma do azeite. Doce na medida perfeita. Uma fatia sacia, mas é tão saboroso que não dá vontade de parar de comer. 

É perfeito para estes dias de frio com uma chávena de café ou chá.



Ingredientes

215 gramas de abóbora + 1 pau de canela e 2 cascas de laranja

2 ovos grandes

110 ml de azeite virgem extra (suave)

100 gramas de açúcar de coco

130 gramas de farinha de trigo integral

50 gramas de noz pecan moída

1 colher (chá) de fermento em pó e bicarbonato de sódio

1 colher (chá) de bicarbonato de sódio

q.b. nozes pecan


Preparação

Parta a abóbora em cubos pequenos.

Coloque num tacho pequeno e junte o pau de canela e as cascas de laranja.

Cubra a abóbora com água.

Coza a abóbora até conseguir desfazer com um garfo. Verifique durante a cozedura.

Escorra muito bem a abóbora para não ficar com excesso de água.

Amasse com um garfo para formar um puré. Escorra alguma água residual que possa ter.

Reserve até arrefecer.

Numa taça coloque os ovos, o açúcar e o azeite.

Bata muito bem até ficar cremoso.

Junte a abóbora e bata mais um pouco.

Acrescente os ingredientes secos, a farinha, as nozes moídas, o fermento e o bicarbonato.

Bata apenas até estar incorporado.

Verta a massa numa forma retangular forrada com papel vegetal e untada com azeite.

Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC entre 35/40 minutos.

Retire o bolo passado 15 minutos da cozedura.

Disponha metades de noz por todo o bolo e leve novamente ao forno mais uns 25 minutos, ou quando espetar um palito, este sair limpo.

Retire do forno, desenforme o bolo e retire a folha de papel vegetal.

Preferencialmente, deixe o bolo arrefecer totalmente antes de servir, para não se tornar muito enjoativo e pesado.

Bom Apetite!




sexta-feira, 10 de dezembro de 2021

Cogumelos recheados com creme de ricotta e tomate

Ainda venho a tempo de partilhar uma das receitas salgadas mais saborosas que comi nos últimos tempos? Ou já estão a dormir? Pois eu acho que devem ver e sonhar com estes pequenos.

Adoro cogumelos, e recheados é das minhas formas favoritas de os preparar. Tinha cá em casa uma embalagem de queijo ricotta aberta e misturei uns ingredientes, mais uns perlimpimpins e saiu esta maravilha! Podem servir como prato principal acompanhados com uma salada ou mesmo um arroz, mas ficam perfeitos como entrada se fizerem com os cogumelos mais pequenos. 

Vale ver a preparação, e quem sabe experimentar. E o recheio é tão bom (um refogado rico em vegetais), que se sobrar, podem aproveitar para usar em tostas, massas, folhados, como molho de salada…

Experimentem em vossa casa e digam-me se está aprovada ou não.





Ingredientes

2 cogumelos Portobello grandes (220 gramas)

200 gramas de ricotta

90 gramas de cebola roxa picada

40 gramas de aipo picado 

25 gramas de alho francês picado

2 dentes de alho picados

6 tomates cereja (cortados em metades)

1 colher (sobremesa) cheia de cebolinho seco

q.b. azeite virgem extra

q.b. sal e pimenta preta


Preparação

Comece por limpar os cogumelos de alguma terra que possa ter, com um pedaço de papel de cozinha. Os cogumelos são porosos e como esponjas, por isso utilizar muita água na lavagem, não é aconselhável.

Retire com cuidado o tronco (pé) dos cogumelos. 

Com uma colher retire a “carne” do interior do cogumelo para ficar com bastante espaço para colocar o recheio. 

Pique bem finamente os troncos e o recheio retirado dos cogumelos (vai ser utilizado no refogado para o creme de ricotta).

Coloque um fio de azeite numa frigideira e deixe aquecer um pouco.

Junte o alho, a cebola, o aipo e o alho francês.

Mexa e deixe saltear uns 2 minutos em lume médio.

Acrescente os cogumelos picados e deixe saltear 1 minuto em lume alto.

Baixe o lume e deixe a cozinhar uns minutos até os vegetais murcharem e cozinharem.

Condimento com sal e pimenta preta a gosto.

Mexa e deixe cozinhar mais 1 minuto em lume médio.

Coloque este preparado numa taça e deixe arrefecer ligeiramente. Não precisa de ser totalmente.

Espalhe um pouco de azeite num tabuleiro forrado com papel vegetal.

Disponha os cogumelos.

Adicione à ricotta o cebolinho, pimenta preta a gosto e o refogado de vegetais.

Misture muito bem.

Recheie generosamente cada cogumelo com o creme de ricotta.

Disponha por cima de cada cogumelo as metades do tomate cereja (3 tomates por cada cogumelo).

Leve ao forno pré-aquecido a 180º C entre 25/30 minutos.

Cubra com papel de alumínio os primeiros 10 minutos no forno, para cozinhar o cogumelo, mas sem dourar demasiado.

Retire o papel de alumínio e deixe mais uns 10 a 25 minutos para evaporar a água e dourar um pouco. Mas verifique.

Retire do forno e deixe arrefecer um pouco antes de servir. 

Bom Apetite!


Sirva acompanhado com uma salada verde, arroz integral…

Deixe arrefecer uns bons minutos antes de servir, pois se estiver muito quente, pode-se desfazer.

Utilize cogumelos pequenos ao invés de grandes, fica perfeito como entrada.

Se sobrar recheio, use-o em massas, em recheio para folhados, molho para saladas, tostas…




quinta-feira, 9 de dezembro de 2021

Bom dia!

Estou a libertar espaço na estante, ao vender e doar livros, mas este vai ficar comigo mais uns tempos. Foi dos primeiros livros que comprei com o meu próprio dinheiro. Acho até que o comprei antes da minha “febre” dos romances de Nicholas Sparks. E hoje é dia de começar a (re)ler.

Pequeno almoço de um lado e uns 10 minutos de tempo no outro para me dedicar a esta leitura.

Tenho em mente que foi uma leitura muito fácil e terminei o livro em três tempos, até porque achei viciante e a história cativante. Não tem sinopse, mas deixo aqui dois dos comentários que vem descrito no livro:

“Uma arrepiante história de fantasmas escrita com hipnótica clareza: de ritmo rápido, inteligente e assombrosa, com passagens de uma intensa percepção das relações entre pais e filhos, o que torna tão comovente este fascinante livro.”

“Não há memória de um livro tão inquietante…Desconhecidos fica na memória depois do seu gracioso e melancólico final.”

 

Por aí? Alguém já leu? Se não, recomendo muito.

terça-feira, 7 de dezembro de 2021

Vai um docinho?

 



Este fim-de-semana estive por Arouca, e ainda que já não me perca por doces, fiquei com os olhos arregalados quando vi a riqueza dos doces conventuais da localidade. Uns já conhecia, embora nunca os tenha provado, mas outros eram novidade. E também de vez em quando uma trinca ou outra num doce não faz mal, certo? 

Ficamos por uma casa de doces conventuais bem no centro de Arouca e fiquei fascinada pelas cores e aparência rica dos doces. Portugal tem destas coisas maravilhosas. 

Provamos os “charutos de amêndoa” e as “pedras parideiras”. E ainda vinham umas castanhas doces a acompanhar o café.

Os primeiros são à base de ovos e amêndoa embrulhados numa folha de hóstia. Não senti grande sabor, até porque é o típico doce de ovos com amêndoa. Não é algo que me cative particularmente, mas quem provou adorou.

Já as pedras parideiras ganharam o meu coração. São um bolo mais seco, mas com um sabor mais intenso que me agrada, com canela, noz, acredito que seja feito também com azeite pela riqueza (e outros ingredientes que não identifiquei) e com uma cobertura fina de açúcar. 

E achei o nome bem curioso, pois trata-se de um fenómeno extremamente raro na área da geologia, onde de uma espécie de “pedra-mãe” nascem (pelo poder da erosão) outras pedras, e na “pedra-mãe” ficam uns orifícios de onde saíram essas outras pedras. Este fenómeno acontece na serra da Freita que é no concelho de Arouca, por isso, nada mais lógico o nome do doce. Mas aconselho uma visita e um aprofundamento sobre o assunto. 

Mas não falando mais de fenómenos geológicos, todos os doces tinham muito bom aspeto, e o próximo da lista a ser provado será o Pão de São Bernardo, sem dúvida. 


sábado, 4 de dezembro de 2021

Cookies de mirtilos e aveia - Dia da Bolacha - 4 de dezembro

Eu não sei se o monstro das bolachas iria gostar destas cookies, tenho quase a certeza que sim, mas eu gosto, e cá em casa também. :) E como hoje celebra-se o Dia da Bolacha, porque não meter as mãos na massa, e em família preparar o lanche para o fim-de-semana?

São uma versão com uns ingredientes um pouco mais saudáveis, mas que não é por isso que deixa as bolachinhas menos saborosas. Até porque manteiga dá sempre riqueza a qualquer receita não é verdade? E de vez em quando sabe tão bem! :)

O aroma que fica na cozinha enquanto as preparamos e depois no forno é qualquer coisa de bom. A mistura do limão traz também um sabor extra às bolachinhas.

Uma ou duas cookies destas ainda mornas e crocantes com um chá ou café é o lanche perfeito, ainda mais nestes dias mais frios.

Façam aí em vossa casa estas pequenas maravilhas. :)






Ingredientes (12 cookies)

1 ovo

120 gramas de manteiga sem sal (à temperatura ambiente, amolecida)

100 gramas de açúcar de coco

110 gramas de farinha de trigo integral

150 gramas de flocos de aveia grossos

125 gramas de mirtilos (mais pequenos e firmes)

1 colher (chá) de fermento em pó

1 colher (café) de bicarbonato de sódio

1 limão pequeno (raspa)


Preparação 

Vamos colocar a manteiga numa taça e bater um pouco. Pode ser com um fouet ou com a batedeira. 

Junte o açúcar e bata até ficar bem incorporado e um creme fofo.

Acrescente o ovo e bata mais um pouco.

Raspe o limão.

Vamos bater novamente até ficar bem cremoso.

Junte o fermento e o bicarbonato à farinha e misture com um garfo.

Adicione a farinha, mas bata apenas até esta estar incorporada. 

Junte a aveia e envolva bem no preparado, com uma espátula, ou mais fácil ainda com as mãos. 

Por último acrescente os mirtilos e envolva-os na massa com cuidado para eles não esmagarem. Vá abrindo a massa e misturando-os.

Se achar necessário, leve a massa das bolachas ao frio para firmar um pouco, mas se estiver consistente não é preciso.

Com a ajuda de uma colher forme pequenas bolas e coloque num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal. Achate um pouco a massa das bolachas com as mãos.

Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC entre 12 a 14 minutos. Mas vá verificando. Não deixe dourar demasiado, nem ficar muito tempo no forno, pois ao arrefecer elas ficam mais duras.

Bom Apetite!


[. Sirva as bolachas ainda mornas. Mas se quiser armazená-las, deixe-as arrefecer totalmente antes de colocar num recipiente.]





quarta-feira, 1 de dezembro de 2021

IM.PERCETÍVEL

Uma série de 12 imagens que retratam de forma impactante e real como é con(viver) com ansiedade e pânico.

Vale a pena observar, ler, refletir e partilhar com quem sofre em silêncio. 

"É na minha mente que a ansiedade surge, mas agora é através dos meus olhos que ela se revela."

Vejam aqui o projeto fotográfico: https://user-kw2bv745.vsble.me/03bb/45051408






segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Panquecas de banana com amêndoa, aveia e laranja

Lanche à hora do jantar, mas que mais parece pequeno almoço? Por aqui hoje temos. 

Não me vou repetir muito sobre a minha perdição com as panquecas. E é muito isto. São versáteis. E não importa se é de manhã ou se a lua já dá o ar da sua graça. O que importa é irem depressa para a barriguinha! 

Fiquem com esta sugestão saborosa e saudável. Ah...e prática de preparar.




INGREDIENTES (para 5 🥞 mini ou 1 gigante)

1 ovo grande

½ banana grande madura

2 colheres (sopa) de bebida de aveia (ou outra bebida/leite)

1 colher (sopa) cheia de farinha de amêndoa

2 colheres (sopa) bem cheias de farelo de aveia (ou farinha)

1 colher (café) de fermento em pó (opcional)

q.b. laranja (raspa)


PREPARAÇÃO

Parta o ovo para uma tigela e bata bem com um garfo.

Amasse a banana e junte ao ovo.

Adicione o leite e mexa mais um pouco.

Junte a amêndoa, a aveia, o fermento e a raspa da laranja.

Misture tudo muito bem com o garfo.

Deite um pouco de azeite numa frigideira antiaderente e espalhe bem.

Com uma colher de sopa coloque pequenas porções de massa na frigideira, e deixar cozinhar até a panqueca começar a ganhar bolhas e secar no rebordo, e está pronta a ser virada (cuidado com a temperatura para não as escurecer demasiado).

Faça o mesmo procedimento com toda a massa.

Se preferirem juntem a massa toda na frigideira para fazer uma única panqueca.

Servi com iogurte natural, banana e mirtilos. 



Bom Apetite!

domingo, 10 de outubro de 2021

PANQUECAS DE BANANA E AVEIA

Ainda venho a tempo de partilhar uma sugestão para os lanches da semana?

Já não é novidade que faço e como regularmente panquecas, em versões mais “saudáveis”. E ainda que a combinação banana e aveia seja das mais consumidas, não só por mim, mas por um mundo de pessoas, há aqueles ingredientes que formam a combinação perfeita. E um destes dias, descobri a minha.

Façam aí em vossa casa. Acho que a família toda vai gostar! 😊

 


INGREDIENTES (8 panquecas médias)

 

2 bananas grandes maduras

2 ovos grandes

125 gramas de “iogurte” vegetal natural (usei da marca Alpro)

180 gramas de farinha de aveia integral (6 colheres (sopa) bem cheias)

1 colher (sobremesa) de fermento em pó

1 colher (chá) de canela em pó

1 limão pequeno (raspa)

q.b. azeite

 

PREPARAÇÃO

 

Parta os ovos para uma taça. Bata com umas varas.

Amasse as bananas com um garfo.

Junte-as aos ovos e misture bem.

Acrescente o “iogurte”, a raspa do limão e a canela. Misture.

Junte a farinha de aveia e o fermento em pó.

Envolva tudo muito bem.

Numa frigideira de fundo antiaderente coloque um fio de azeite e espalhe bem.

Com a ajuda de uma colher de servir ou concha de sopa coloque uma porção pequena de massa na frigideira.

Deixe cozinhar em lume baixo até a panqueca começar a ganhar bolhas e a borda ficar seca, e está pronta a ser virada. Vire com uma espátula.

Tenha em atenção a temperatura para não as escurecer demasiado ou queimar.

Do outro lado deixe apenas cozinhar um minuto.

Repetir o procedimento com toda a massa.





quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Pota à lagareiro

Se me perguntassem se prefiro polvo ou pota em questão de sabor, claro que escolho o polvo disparado. Mas a verdade é que não é assim tão acessível a nível de preço, além de que depois de cozinhado fica em metade do tamanho. E cá em casa como gostamos de comer bastante, seria como comer caviar. A pota, além de menos dispendiosa, não minga tanto aquando da cozedura. E é também saborosa, por isso está tudo certo. Hoje o almoço foi uma Pota à Lagareiro. Parece uma receita trabalhosa, mas é até bastante prática e com poucos ingredientes. Porque para mim, com alho e azeite fica tudo delicioso! 



Ingredientes


1,5 kg de tentáculos de pota

500 gramas de batatas pequenas para assar

2 cebolas médias 

6 dentes de alho grandes

2 folhas de louro

q.b. azeite virgem extra

q.b. sal e pimenta preta


Preparação


Coloque a pota numa panela e cubra com água.

Deixe cozer entre 40 a 60 minutos. Espete um garfo e verifique se a carne está tenra. 

Retire da panela e escorra a pota.

Reserve cerca de 200 ml da água da cozedura da pota.

Coloque as batatas inteiras e com casca (lavadas) num tacho com água e sal.

Coza-as cerca de 10 minutos, ou vá verificando espetando um garfo ou uma faca. Mas não a deixe cozer demasiado.

Quando as batatas estiverem cozidas, escorra e deixe arrefecer 1 minuto apenas.

Dê um murro ao de leve em cada batata para a "esborrachar" ligeiramente. Mantendo-as inteiras.

Numa terrina/travessa de forno regue bom bastante azeite, cobrindo o fundo.

Espalhe as cebolas cortadas às rodelas finas e 4 dentes de alho laminados. 

Adicione as folhas de louro e condimente com pimenta preta por toda a terrina.

Coloque as batatas à volta e regue com um fio de azeite.

Leve ao forno uns 10 minutos a 190ºC.

Retire a terrina do forno e coloque os tentáculos de pota no centro.

Junte a água da cozedura da pota e os restantes alhos laminados.

Leve ao novamente ao forno mais uns 15 minutos até dourar.

Retire do forno e bom apetite!


sábado, 18 de setembro de 2021

E-BOOK GRÁTIS - SCONES

Hoje, 18 de setembro, comemora-se o Dia Internacional de ler um e-book. Este dia foi criado com o intuito de incentivar a leitura digital. A criação da data é recente, de 2014, e foi feita pelas mãos da OneDrive, distribuidora de e-books.
Site oficial: https://readanebookday.com/

Confesso que só há pouco tempo me rendi aos prós* de ler em versão digital. Ainda que existam alguns tipos de livros que não abdico que seja em formato papel. Alguma história mais envolvente ou livros infantis, para mim é obrigatório tocar, ver as ilustrações…
 
*prático de transportar, fácil armazenamento, leitura em qualquer espaço e lugar, mais económico, mais ecológico…


E como as datas devem ser sempre celebradas, trago um E-BOOK com 7 receitas de scones. Podem descarregar o vosso de forma GRATUITA e sem necessidade de preencherem nenhum formulário. Basta baixarem o PDF. 



👉 3 receitas salgadas
👉 3 receitas doces
👉 1 receita tradicional com QRcode para a preparação em vídeo
👉 3 das receitas são exclusivas do E-BOOK


Espero que gostem, que se aventurem na cozinha e partilhem comigo o que acharam do e-book. 


Para fazerem o download do E-book 👇 
https://drive.google.com/file/d/1m8yeyZOZbkW9YMLdKTrzor0Ua8x9RNMr/view?usp=sharing

terça-feira, 14 de setembro de 2021

O Dado Irrequieto - Expressão motora - Pré-escolar (3-5 anos)

Esta é uma atividade bem simples, divertida e que vai ajudar ao desenvolvimento de algumas competências na criança, neste caso a que mais se destaca é relativa ao domínio da expressão motora. Na medida em que a criança ao participar da atividade irá conseguir realizar ações primárias de deslocamento no espaço e movimento do corpo.

Descrição da atividade

É construído um dado em papel com algumas “ordens” acompanhadas de imagens, a fim de ser mais atrativo para os mais novos. 

O dado pode ser construído com as mais variadas opções de “comando”, adaptando-se, naturalmente à idade da criança ou às características do grupo de crianças. 

À medida que for lançado o dado é solicitado às crianças que façam o movimento pedido. 

A atividade pode ser realizada em momentos específicos e definidos do dia...ou pode ser algo que esteja presente (o dado) nas salas, ou em casa, para ser realizado em momentos "aleatórios".  

Foi impresso em tamanho A4 em folha de gramagem 150 - para o dado ser conservado durante mais tempo, plastifiquem


Preparei em PDF e pronto a imprimir o modelo de um dado já com as imagens e outro em branco para ser personalizado ou para apenas copiarem o molde e fazer noutros formatos. 

Molde de dado para imprimir 👉 https://drive.google.com/file/d/1KoN7RIW4Fmge-QhhVxSsDO1_FRVGSl3o/view?usp=sharing


Tudo isto é adaptável, podendo ser feito manualmente em:

- cartolina;

- E.V.A;

- vários tamanhos, diferentes cores, desenhado…



Vídeo com montagem do dado👇


Cortar


Vincar


Colar


Divirtam-se!

segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Das tradições do 1º dia de escola/pré-escola

O recomeço da escola está mesmo aí. Para muitas crianças é algo novo, a descobrir, para outras é o voltar às rotinas e aos colegas. Mas não é disso que vou falar, mas sim de uma tradição que acho particular graça, que é comum no Canadá e EUA.

Seguramente já viram nos filmes ou em algum vídeo aquelas fotografias onde as crianças seguram umas placas. A fotografia é tirada no primeiro dia da escola ou pré-escola. Normalmente estes cartazes, placas, contêm curiosidades sobre as crianças, data e informação sobre a escola...

O que me agrada é que fica tudo registado. Os detalhes dos gostos de cada criança, como elas se sentiam...olhar para trás e observar como vão crescendo e os seus gostos se alterando, é muito giro. Muitas vezes no final do ano letivo já mudaram. E mais...poder em adulto (essa mesma criança) saber disto, não tem preço e dão conversas divertidíssimas. São coisas insignificantes dizem? Talvez...mas são também estes pequenos pormenores que dão graça à vida.

Fonte da imagem: https://www.personalizationmall.com/Personalized-First-Day-Of-School-Dry-Erase-Sign-p17937.prod


Como eu não consigo ficar quieta decidi criar um design com um modelo que pode ser aplicado no 1º ciclo e no pré-escolar

Para cada, elaborei 2 modelos diferentes, para que possam imprimir o que mais vos agradar e no tamanho e formato que pretenderem.

Vou dar também o link para o modelo editável no Canva.com para alterarem ao vosso gosto, sejam cores ou informação que querem registar.


PDF com modelos para impressão:

Escola 👉 https://drive.google.com/file/d/1m34lmwkmjN5Qm_0R4uCJx0joC-pw6Rqx/view?usp=sharing

Pré-escolar 👉 https://drive.google.com/file/d/1Ct804xwvB3P6B35ssuxG7A4qZVkqbWS5/view?usp=sharing

Convite para edição do design com modelo escola 👉 https://bityli.com/Y2blX

Sem esquecer que podem usar materiais reciclados...o que quiserem e tiverem disponível. A imaginação não tem limites.

Para a placa

- madeira;

- k-line;

- cartolina;

- quadro de lousa…

Para desenhar/escrever

- giz;

- marcadores;

- canetas;

- lápis de cor, cera;

- tintas…


Divirtam-se com as crianças e criem memórias!

sábado, 11 de setembro de 2021

Cores - Língua Gestual Portuguesa

Hoje vamos aprender as cores? Vamos preparar as nossas mãos e gestuar um pouco...



Vídeos 📹

Dia 6 de setembro - Alfabeto 

Dia 7 de setembro - Algarismos 

Dia 8 de setembro - Dias da semana 

Dia 9 de setembro - Meses do ano 

Dia 10 de setembro - Estações do ano 

Dia 11 de setembro - Cores 


 

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Estações do ano - Língua Gestual Portuguesa

Hoje é dia de estações do ano...e estamos quase no Outono! Vejam no vídeo como as dizer em gestos.



Vídeos 📹

Dia 6 de setembro - Alfabeto 

Dia 7 de setembro - Algarismos 

Dia 8 de setembro - Dias da semana 

Dia 9 de setembro - Meses do ano 

Dia 10 de setembro - Estações do ano 

Dia 11 de setembro - Cores 


Como estrelas na terra - rubrica MarIndica

 Na rubrica de hoje, vamos de cinema…


Como estrelas na terra – toda a criança é especial”, é um filme indiano que retrata a história de Ishaan, um menino com grandes dificuldades de aprendizagem. Conseguimos observar como essa dificuldade afeta a relação entre a família, colegas, escola e professores, dada a pouca preparação e conhecimento para saber lidar com a diferença. Mas esta questão vai mudar, quando chega à escola um jovem professor de Artes que revoluciona o modo de ensino e cria uma ligação especial com Ishaan. 

É um filme longo, muito emocionante e delicioso de assistir, porém, leva-nos a questionar a pouca capacidade de observar os nossos próprios filhos na sua essência e os métodos de educação utilizados nas escolas.

É preciso educar os pais para estarem atentos aos sinais que os filhos dão. É preciso formar educadores para olharem para cada criança com olhos de ver, entrar no mundo delas e fazer delas o melhor que elas podem ser.


Trailer



quinta-feira, 9 de setembro de 2021

Meses do ano - Língua Gestual Portuguesa

Partilho com vocês os meses do ano. Vamos lá colocar as nossas mãos em movimento.



Vídeos 📹

Dia 6 de setembro - Alfabeto 

Dia 7 de setembro - Algarismos 

Dia 8 de setembro - Dias da semana 

Dia 9 de setembro - Meses do ano 

Dia 10 de setembro - Estações do ano 

Dia 11 de setembro - Cores 


quarta-feira, 8 de setembro de 2021

Dias da semana - Língua Gestual Portuguesa

 Que dia é hoje? Os dias da semana em vídeo. E em LGP. 



Vídeos 📹

Dia 6 de setembro - Alfabeto 

Dia 7 de setembro - Algarismos 

Dia 8 de setembro - Dias da semana 

Dia 9 de setembro - Meses do ano 

Dia 10 de setembro - Estações do ano 

Dia 11 de setembro - Cores 


Dia Internacional da Literacia



Hoje, dia 8 de setembro, celebra-se o Dia Internacional da Literacia.

Esta data surgiu para evidenciar o valor da instrução ao nível da escrita e leitura. Foi em 1967 que a data foi pela primeira vez comemorada a nível mundial, no entanto, já havia sido declarada no ano anterior (em outubro) pela UNESCO. 

Este é um tema tão complexo de abordar, e estranho a nós, que somos parte do bolo dos que tem o privilégio de se ter alfabetizado. Porque sendo um dos Direitos Humanos fundamentais, ainda existem milhões e milhões de crianças, jovens adultos e adultos analfabetos e com pouca escolaridade espalhados pelo mundo, ainda que saibamos que existem países onde este número é mais concentrado. Ler e escrever é fundamental para que possamos ter um papel ativo na sociedade e mais importante, para que possamos exercer dos nossos direitos em liberdade e segurança. 

Vou deixar uns links muito interessantes onde mostram as taxas de alfabetização, no Mundo, em Portugal, e como são as comemorações, internacionalmente e aqui no país. 
O tema deste ano, é bem curioso, já que dá ênfase como a pandemia afetou ainda mais esta questão do absentismo e alfabetização. 


UNESCO: https://en.unesco.org/commemorations/literacyday

PLANO NACIONAL DE LEITURA: https://pnl2027.gov.pt/np4/mesdaliteracia2021.html

PORDATA: https://www.pordata.pt/Portugal/Taxa+de+analfabetismo+segundo+os+Censos+total+e+por+sexo-2517-198286 

INDEXMUNDI: https://www.indexmundi.com/map/?v=39&t=100


🖉Nem sempre é fácil, e mesmo sendo uma gota no oceano, porque não reservar uns bons minutos da nossa semana ou fim-de-semana e ajudar alguém a aprender a ler e escrever.🖉


terça-feira, 7 de setembro de 2021

Números - Língua Gestual Portuguesa

Hoje saiu o vídeo com os algarismos em LGP. Vamos lá contar...a gestualizar! 



👇 Baixa o PDF com as fotografias das configurações da mão (Algarismos) para apoio 👇

https://drive.google.com/file/d/1yuNBij0LzzuxXc-CifYEQ5o1xlY_ghDn/view?usp=sharing


Vídeos 📹

Dia 6 de setembro Alfabeto 

Dia 7 de setembro - Algarismos 

Dia 8 de setembro - Dias da semana 

Dia 9 de setembro - Meses do ano 

Dia 10 de setembro - Estações do ano 

Dia 11 de setembro - Cores

segunda-feira, 6 de setembro de 2021

Alfabeto - Língua Gestual Portuguesa

 Vejam o vídeo primeiro vídeo, onde partilho, o abecedário em LGP. 



👇 Baixa o PDF com as fotografias das configurações da mão (Alfabeto) para apoio 👇

https://drive.google.com/file/d/1KeU9W9b6l3RR63M3BmX7VR7pZrg1AekX/view?usp=sharing


Vídeos 📹

Dia 6 de setembro - Alfabeto 

Dia 7 de setembro - Algarismos 

Dia 8 de setembro - Dias da semana 

Dia 9 de setembro - Meses do ano 

Dia 10 de setembro - Estações do ano 

Dia 11 de setembro - Cores 



sábado, 4 de setembro de 2021

Língua Gestual Portuguesa



Terminei recentemente uma formação de Língua Gestual e fiquei fascinada. 

Sabem quando pensam, "Isto é mesmo giro!" ou "Gosto mesmo disto!"? Foi exatamente o meu pensamento. E por forma a continuar a praticar (para não esquecer e aperfeiçoar), decidi gravar uns vídeos com algum vocabulário básico. Não é tudo, de tudo, mas são palavras que podemos usar para comunicar com as pessoas portadoras de algum tipo de deficiência auditiva (desde a mais ligeira à mais profunda). 
Porém, nem sempre nos cruzamos com pessoas que possuem esta característica, mas ainda que não nos pareça útil, é sempre; podemos, por exemplo, ensinar as crianças, desde tenra idade. Seria sem dúvida um valioso acrescento para o seu desenvolvimento, e a nível escolar, no abraçar e comunicar com o colega portador de algum grau de surdez
E mais ainda, quem aprende uma nova língua, estimula o cérebro a nível cognitivo, o que é sempre positivo.

É bom partilhar conhecimento. Que acrescenta. Que vai ser mais uma ferramenta, que por muito pequena que possa parecer, ajuda na inclusão e na comunicação do quotidiano.

Em Portugal calcula-se que existam cerca de 120 mil pessoas com algum grau de perda auditiva. 

Associação Portuguesa de Surdos (APS) - https://apsurdos.org.pt/ 


A partir de segunda-feira, dia 6 de setembro, sai no meu canal de YouTube (subscrevam, se ainda não o fizeram) o primeiro de seis vídeos. Ainda tenho muito que praticar e por isso se tiverem alguma dúvida visitem estes sites:

https://www.spreadthesign.com/pt.pt/search/
https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-gestual


Calendário de vídeos:



Se quiserem que partilhe e faça outros vídeos deixem nos comentários.


Vídeos 📹

Dia 6 de setembro Alfabeto 

Dia 7 de setembro - Algarismos 

Dia 8 de setembro - Dias da semana 

Dia 9 de setembro - Meses do ano 

Dia 10 de setembro - Estações do ano 

Dia 11 de setembro - Cores 

sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Lasanha de Frango

Lasanha tem vindo a ganhar o meu coração no departamento de comidas favoritas. Acredito que seja a preferida de muita gente também. Cá em casa e entre amigos faz sucesso. Há qualquer coisa de reconfortante neste tipo de comida. Mas verdade seja dita, receitas de forno, normalmente tem esse efeito. E se adicionarmos massa e queijo, não há erro! :) 

Eu tento ter uma alimentação bem equilibrada, mas lasanha é das poucas coisas a que não resisto. Mas preparando em casa está ótimo!

Esta é a receita que tenho feito. Espero que gostem, experimentem em vossa casa e partilhem com as pessoas para lhes dar aquele quentinho! :)




INGREDIENTES (serve 8 pessoas)

 

Recheio de frango

800 gramas de frango picado

4 colheres (de sopa) de azeite

1 colher (sopa) de manteiga sem sal

4 dentes de alho grandes

1 cebola grande

1 cenoura grande

1 talo de aipo grande

125 gramas de cogumelos frescos (usei Portobello)

1 folha de louro grande

500 gramas de tomate em pedaços (ou triturado)

1 colher (sopa) cheia de alho em pó

1 colher (sopa) cheia de cebolinho seco

3 colheres (sopa) cheias de salsa fresca picada

q.b. sal e pimenta preta


Molho Béchamel 

700 ml de leite

60 de manteiga sem sal primor

60 gramas de farinha de trigo sem fermento

q.b. sal e pimenta preta

q.b. noz moscada

1 folha de louro

 

Montagem da lasanha

14 placas de massa de lasanha (que não necessitem de pré-cozedura)

150 gramas de queijo Mozzarella ralado

q.b. salsa fresca picada

q.b. pimenta preta

 

PREPARAÇÃO

 

Recheio de frango

Comece por picar bem finamente a cebola, os alhos, o aipo, a cenoura e os cogumelos. Pode picar com a faca, ou mais fácil, usando o processador de alimentos ou picadora 1,2,3.

Num tacho, de preferência antiaderente, coloque o azeite e a manteiga. Deixe aquecer e derreter a manteiga (cuidado para não queimar).

Junte a folha de louro e o frango. Com uma colher de pau vá mexendo e quebrando a carne, e deixe dourar um pouco.

Condimente com o alho em pó, o cebolinho e com sal e pimenta preta a gosto.

Junte todos os vegetais picados ao tacho e refogue mais uns minutos.

Adicione o tomate e a salsa. Envolva tudo muito bem.

Deixe apurar e cozinhar tapado por uns 10 minutos, em lume baixo, mexendo de vez em quando.

Se achar necessário, junte um pouco de água, mas não deixe demasiado líquido o preparado.

Deixe ferver e desligue.

Retire a folha de louro.

Reserve.

 

Molho Béchamel

Num tacho coloque a manteiga e deixe derreter, mas sem queimar.

Junte a farinha e com umas varas mexa bem, isto com o lume médio baixo (preparado de roux*).

Acrescente a folha de louro.

Vá adicionando um pouco de leite, e misture bem para dissolver e não ganhar grumos.

Junte o restante leite, aumente um pouco o lume e mexa.

Condimente com noz moscada, sal e pimenta preta a gosto.

Vá mexendo sempre, deixando cozinhar uns minutos até começar a engrossar ligeiramente.

Retire a folha de louro.

Desligue o lume e reserve.


Montagem da lasanha

Pré-aqueça o forno a 190ºC.

Numa terrina retangular alta coloque um pouco de molho Béchamel e do recheio da carne no fundo e espalhe.

Disponha 4 folhas de lasanha.

Cubra com mais um pouco recheio do frango e verta um pouco de molho Béchamel.

Disponha mais 3 folhas de lasanha.

Cubra novamente com mais um pouco recheio do frango e verta um pouco de molho Béchamel.

Junte um pouco de queijo ralado.

Cubra com mais 4 folhas de lasanha.

Espalhe o restante recheio do frango.

Tape com as 3 últimas placas de lasanha.

Verta molho Béchamel por todo e cubra com o queijo Mozarela ralado.

Polvilhe com salsa fresca picada e condimente com pimenta preta.

Tape a terrina com papel de alumínio e leve ao forno cerca de 25 minutos.

Retire do forno, e tire o papel de alumínio.

Leve mais uns 10 minutos ao forno para gratinar o queijo e a lasanha dourar.

Retire do forno e deixe arrefecer uns 20 minutos antes de servir.


*Roux (mistura de ingredientes em quantidades iguais que forma uma espécie de espessante para criar molhos)


Bom Apetite!

Rubrica MarIndica - A Bailaria de Auschwitz


Terminei este livro há uns dias. E só consigo indicar muito. Todos sabemos quando o assunto é o Holocausto, desperta em nós alguns sentimentos mais profundos. Mas este livro, ainda que não seja um livro de autoajuda faz-nos pensar e que pode sim ser aquele virar de chave que precisamos. 

Quem escreveu o livro foi Edith Eger, uma sobrevivente de Auschwitz. Tinha apenas 16 anos quando foi levada para o campo de concentração, e tal como o nome do livro indica, era obrigada a dançar para os alemãs. Mais tarde, depois de se libertar de Auschwitz, formou-se em Psicologia. E por isso, no livro podemos encontramos os relatos da sua experiência com os pacientes, a maioria soldados de guerra com stress pós-traumático. Ao longo da leitura vamos entendendo a experiência da própria enquanto "prisioneira". Fica claro, como a capacidade de resistência e resiliência dela a fez uma sobrevivente e ajudou tantas pessoas ao longo dos anos.

Sublinhei quase o livro todo, de tão boas as frases, de tão sentido que faziam para mim. Mas em suma, fala de como a prisão é uma questão de perspetiva (a prisão da nossa mente). O que nos acontece não pode ser varrido para debaixo do tapete. Tem de ser encarado para conseguirmos aceitar e viver o “hoje”. 

Um pouco de “autoajuda” diriam, mas é um livro de relatos, experiências e histórias bem poderosas, por isso facilita os “insights” que tantas vezes nos surgem, permite aquela análise interna tão necessária como já mencionei. 

De leitura obrigatória.


quarta-feira, 1 de setembro de 2021


São vários os modelos pedagógicos que existem: Maria Montessori, Piaget, Waldorf, Escola Tradicional, Movimento Escola Moderna (MEM) e High Scope, Reggio Emilia…

Nenhuma destas correntes pedagógicas são a “caixa de pandora”, aliás, não há respostas quando se fala do melhor método de educação das crianças, porque cada uma é única. Mas é possível aceitar que Piaget é de certa forma a base de todos os outros modelos, porque como este disse, “o conhecimento só é assimilado através da experimentação”. E isto é algo que não, na minha opinião, não deixa margem para dúvidas.

Claro que educadores, pais, cuidadores, vão tendo a necessidade de encontrar e criam afinidade com determinado modelo pedagógico, de acordo a sua forma de ver a educação, e que identifiquem como relevante para o desenvolvimento das competências pessoais, intelectuais e cognitivas da criança. 

Neste sentido, se me perguntassem qual o método que utilizaria, e falando de crianças até à idade do pré-escolar (5 anos), diria que seguiria a linha pedagógica Montessori, ainda que um ou outro aspeto do método seja desafiador de concretizar. Mas isso é o importante. Retirar o melhor de cada modelo; não achar que seguindo uma linha orientadora, não há direito a desvios, ou, entrar em conflitos sobre o que é, ou não o mais acertado. Tudo são tentativas e nada é estanque. Até porque quando se fala do ensinar as crianças, não deve existir inflexibilidade. Não existem fórmulas, nem poções mágicas. 

Maria Montessori destaca a: individualidade, independência, autonomia, liberdade e atividade permanente das crianças. 

Acredita que o desenvolvimento intelectual delas é atingido através de exercícios sensoriais. Utilizam por isso diversos materiais didáticos adaptados a todos os cinco sentidos. 

Este modelo pedagógico não “aprova” a recompensa pelo esforço atingido, assim como não existem punições ou castigos, pois veem estes como algo que não é natural.

Todos queremos o melhor para cada criança e vê-la tornar-se um adulto capaz em todos os sentidos, deve ser o objetivo maior. Independentemente da linha pedagógica. 


"If you wish to give the means to the child for his development you must give them in such a way that the child can, and must move. ...In all her books, lectures, conversations, Montessori incessantly returns to this great theme of the importance of movement."

—E.M. Standing Maria Montessori, Her Life and Work


sábado, 28 de agosto de 2021

O que importa são os dias bons

Levo esta frase como um mantra.

Não vou entrar num duplo sentido, onde muitos diriam que o que acontece de mau também serve de aprendizagem. Verdade, mas são coisas diferentes. 

Existem dias em que sentimos na pele uma leveza maior, aquela inspiração profunda que sai limpa, porque o dia foi extraordinário e fizemos algo que nos tirou da zona de conforto. 

E como esses momentos são muitas vezes e em muitas pessoas raros, vale a pena registar. E é importante não ter medo deles, uma vez que isto é viver.

Porque, o que importa são os dias bons



quinta-feira, 5 de agosto de 2021

MUFFINS DE BANANA COM PEDAÇOS DE CHOCOLATE

Olá pessoas giras! 

A sugestão que trago é de uns Muffins de banana com pedaços de chocolate. São perfeitos para levar na lancheira dos miúdos e graúdos aí de casa. Dá também para congelar e ir retirando ao longo da semana, para ter um docinho fresquinho e pronto a comer! São doces numa medida bem equilibrada, mas com uma textura e um sabor bem bons! Um queque destes com uma chávena de café com leite...maravilhoso!

Utilizei também uns ingredientes mais interessantes a nível nutricional, mas é uma receita totalmente adaptável e podem substituir por ingredientes que tenham em casa. 


INGREDIENTES (8/9 muffins)

2 bananas pequenas maduras (205 gramas)

60 gramas de chocolate 85% picado

2 ovos

50 gramas de açúcar de coco

120 ml de leite (usei magro, sem lactose)

200 gramas de farinha de trigo integral

1 colher (chá) cheia de fermento em pó

1 colher (chá) cheia de bicarbonato de sódio


PREPARAÇÃO

Vamos começar por colocar formas de papel numa forma própria para muffins.

Com um garfo amasse bem as bananas até ficar numa espécie de puré.

Parta os ovos para uma taça.

Junte o açúcar e a banana amassada.

Bata muito bem os ingredientes usando um fouet. 

Acrescente o leite e misture.

Junte a farinha, o fermento e o bicarbonato de sódio.

Envolva muito bem, mas apenas até a farinha estar incorporada. Não bata demasiado, para a massa dos muffins não ficar muito dura.

Adicione o chocolate e envolva na massa, usando uma espátula.

Encha cada forma com a massa, com a ajuda de uma colher, ou com o que achar mais prático.

Esta receita rende uns 9 queques, por isso precisei também de usar formas individuais grandes e altas.

Leve ao forno pré-aquecido a 180ºC cerca de 20 minutos, ou faça o teste do palito. Se este sair limpo, estão prontos os muffins.

Retire do forno e deixe arrefecer antes de servir.

Bom Apetite!




sexta-feira, 16 de julho de 2021

Nuggets - representação da evolução dos comportamentos aditivos

Este vídeo de animação, mostra de uma forma muito simples e eficaz como começam e evoluem os comportamentos aditivos. Achei maravilhoso e ideal para mostrar aos jovens, em contexto familiar ou escolar. Porque nenhum tipo de adição vale a curiosidade. 

  


sábado, 19 de junho de 2021

PENNE INTEGRAL COM RICOTTA E ESPARGOS VERDES

Adoro um belo prato de massa. E juntar ricotta, que é o meu mais recente vício e uns espargos...só pode dar coisa boa! :) Uma sugestão rápida e fácil de preparar. 



INGREDIENTES (serve 2 pessoas generosamente)

140 gramas de massa integral (usei penne)

125 gramas de espargos verdes frescos (cortados em pedaços pequenos)

q.b. azeite virgem extra

1 colher (sopa) de cebolinho seco

2 colheres (sopa) de salsa fresca picada

250 gramas de ricotta (usei de búfala)

1 ovo

q.b. sal e pimenta preta

q.b. lima (sumo espremido na hora)


PREPARAÇÃO

Coloque sal numa panela com água a ferver.

Junte a massa, mexa e deixe cozer de acordo as instruções da embalagem.

Não descarte a água da cozedura.

Numa frigideira antiaderente, verta um fio de azeite generoso.

Junte os espargos e deixe saltear uns minutos.

Condimente com pimenta preta e sal a gosto.

Esprema um pouco de sumo de lima.

Desligue o lume e reserve.

Numa taça coloque o ovo e bata com umas varas.

Junte o queijo ricotta.

Condimente com pimenta preta e sal. Adicione o cebolinho. 

Misture tudo muito bem.

Para tornar o molho mais fluído, junte cerca de 200 ml da água da cozedura da massa e mexa bem.

Junte o molho da ricotta aos espargos.

Deixe ferver, coloque no mínimo o lume da frigideira e misture. 

Adicione a massa e envolva bem no molho.

Pessoalmente, gosto do molho mais espesso, mas se quiserem, juntem mais água da cozedura para o molho ficar mais cremoso. 

Acrescente a salsa e misture. 

Retire do lume e sirva de preferência logo de seguida.


Bom Apetite!


sexta-feira, 18 de junho de 2021

FLIPPED - A DESCOBERTA DO PRIMEIRO AMOR [FILME] - RUBRICA MAR@INDICA




Sinopse

Em 1957, Juli Baker conhece pela primeira vez Bryce Loskis, quando ele e a família se mudam para o bairro, e acredita ter descoberto o seu grande amor. Já ele, não tem tanta certeza e faz de tudo para evitar o contato com Juli, fugindo e encontrando diferentes formas de a afastar. Em 1963, já adolescentes, Juli Baker acaba por desistir de Bryce. São vizinhos há anos, mas as famílias não mantêm contato algum, já que o estatuto social e formas de estar na vida são totalmente opostas. Até que o avô de Bryce, Chet Duncan, muda-se para casa deles, e cria uma inesperada e especial amizade com Juli. Bryce fica com ciúmes, pois o avô fala mais com a vizinha do que com ele. Esta relação imprevisível faz também com que as famílias tentem se tornar amigáveis e criar uma ligação. Porém, resultado de vários acontecimentos não corre como esperado. Mas...será que Bryce vai conseguir finalmente ver quem é a Juli? 




Quando comecei a ver o filme, confesso que não esperava muito, mas fiquei completamente deliciada com a sua simplicidade e leveza. Acho que sorri a maior parte do tempo. Não é aquele filme cliché de amor adolescente. É sobre amor, mas é sobre a descoberta, as relações, a família e a amizade. Existem tantas mensagens nas entrelinhas. Profundas. Fizeram-me emocionar. Não é um filme com um final estrondoso...mas dá aquele quentinho.

E um facto bem engraçado é que, o filme é de 2010. Mas senti que estava a ver um filme dos anos 80/90, mas que na realidade retrata os anos 60.

É daqueles filmes perfeitos para ver em família.